As eleições de 2022 coincidem com o bicentenário da Independência e os 90 anos de conquista do direito do voto feminino, ocorrida em 24 de fevereiro de 1932. Durante todo o Império, as brasileiras não puderam votar e somente 43…

O Ecomuseu da Amazônia, da Fundação Escola Bosque (Funbosque) promoveu no domingo, 25, na Ilha de Cotijuba, o roteiro patrimonial, pelo encerramento da 16ª Primavera dos Museus. Os visitantes conheceram o pólo do Ecomuseu, a história de Cotijuba, que passa…

A prefeitura de Portel, em parceria com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca, lançou na sexta-feira passada (23) o projeto Marajó Sustentável, aliado ao Programa de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva da Seringueira no Estado do Pará…

As dunas em volta do apelidado “lago da Coca-Cola”, em Salinópolis (PA), estão sofrendo progressiva destruição e nenhum órgão fiscalizador está empenhado em conter esse desastre. Moradores locais e até veranistas já apelaram à Polícia Civil, ao Corpo de Bombeiros…

O que falta aos paraenses?

O Pará tem apenas sete projetos de obras, de 2007, que estão com os prazos expirando, precisando de pequenos ajustes para a execução. Em 2008, são 17 projetos. Enquanto isso, Rondônia tem 198 projetos em andamento. Parece que os paraenses esqueceram o Calha Norte. Há boa vontade dos engenheiros que analisam os projetos, em Brasília. Três deles são paraenses. O que falta?”
(José Roberto Almeida, o “Comandante Almeida“, militar reformado da Marinha e atual gerente técnico do programa Calha Norte, vinculado ao Ministério da Defesa, pedindo hoje aos políticos e secretários de Estado que “despertem e salvem os projetos paraenses”.)

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *