A 27ª Unidade de Conservação do Estado do Pará abrange os municípios de Jacareacanga e Novo Progresso, no sudoeste paraense. O Decreto nº 1.944/2021 foi assinado pelo governador Helder Barbalho na quinta-feira, 21, e publicado ontem (22) no Diário Oficial…

O Atlas da Dívida dos Estados Brasileiros, lançado no Fórum Internacional Tributário pela Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital, aponta que a dívida ativa das empresas com os entes federados soma estratosféricos R$ 896,2 bilhões, significando 13,18% do PIB…

Ao abrir oficialmente o Forma Alepa/Elepa, o presidente da Assembleia Legislativa do Pará, deputado Chicão, destacou a importância do trabalho que vem sendo executado pela Escola do Legislativo, treinando, qualificando e atualizando gestores, vereadores e servidores públicos, que dessa forma…

Em Itupiranga, força-tarefa do Ministério Público do Trabalho no Pará e Amapá, Auditoria Fiscal do Trabalho, Defensoria Pública da União e Polícia Federal resgatou sete trabalhadores em condições análogas às de escravos, em duas fazendas no sudeste paraense, e prendeu…

O livre falar e o regimento da Alepa

Hoje a sessão ordinária da Assembleia Legislativa encerrou em meio a um bate-boca acalorado acerca do desrespeito ao Regimento Interno da Casa. Parlamentares da oposição, notadamente os deputados Iran Lima, líder do PMDB, José Scaff(PMDB) e Soldado Tércio(SDD) reclamaram em altos brados acerca do tempo concedido a cada um na tribuna, argumentando que a Mesa Diretora usa de dois pesos e duas medidas e pratica injustiça. 

Quem presidia a sessão era o deputado Cássio Andrade(PSB), na ausência momentânea do presidente Márcio Miranda(DEM), que recebia visitantes na sala em anexo. Cássio ouviu as questões de ordem, esclareceu que o tempo é concedido de modo igualitário e lembrou que a maioria descumpre o Regimento porque os deputados se inscrevem para discutir requerimentos e projetos mas tratam de temas alheios às matérias em pauta e extrapolam o tempo regimental; entretanto, a todos é concedida a palavra e com prorrogação, em nome da liberdade de expressão. 

Último a falar, o presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Alepa e Ouvidor da Casa, deputado Raimundo Santos(PEN), discorreu sobre os dispositivos regimentais e frisou que, ao contrário das reclamações de que proposições são retiradas de pauta na CCJ em benefício do governo, todas as vezes em que isto aconteceu foi em atendimento a pedidos dos próprios deputados Iran Lima e José Scaff, e instou aos dois que o desmentissem, se não fosse verdade. Ambos confirmaram com o silêncio. E a sessão foi encerrada, sem maiores delongas.

Na foto, um flagrante da cena, exclusivo do blog.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *