Governador do Pará e presidente do Consórcio de Governadores da Amazônia Legal, Helder Barbalho está com agenda intensa em Brasília, e em reunião com Lula nesta sexta-feira (27) apresentou documento proposto pelo CAL. Para o desenvolvimento regional do bioma amazônico,…

O Papa Francisco nomeou o atual bispo da prelazia de Marajó (PA), Dom Evaristo Pascoal Spengler, bispo de Roraima (RR), que estava sem titular há um ano, desde a transferência de Dom Mário Antônio da Silva para a arquidiocese de…

Utilizar o futebol como ferramenta de transformação social para crianças e adolescentes de todo o Pará é o objetivo do projeto "Futebol Formando Cidadão", que será lançado neste domingo (29) no oeste paraense. A iniciativa é do Tapajós Futebol Clube,…

No próximo sábado, 28, é o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. Esta semana, foram divulgados dados da Secretaria de Inspeção do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) referente a 2022, quando foram resgatados 2.575 trabalhadores em condições análogas…

O caos no trânsito e o direito à vida

O trânsito, no Pará e no Brasil, mata mais do que as guerras em vários países e epidemias letais. Apesar de todas as campanhas educativas, a selvageria continua. 

Em Belém, na Assis de Vasconcelos, por exemplo, onde há “pegas” durante a madrugada e quase todo fim de semana acontece um acidente, é comum motoristas saírem da 28 de Setembro e seguirem, na contramão, até a Ó de Almeida, assim como na Piedade, da Av. José Malcher até a Gaspar Viana. Até na BR-316, principalmente nos trechos urbanos de Ananindeua e Marituba, há condutores – verdadeiros criminosos – que trafegam pelo acostamento e na contramão, só para não dar uma pequena volta e acessar a próxima rua.

Nas ruas do comércio, onde Babel é pouco para descrever a situação de caos, param sem a menor cerimônia para carregar e descarregar no meio da rua, e quem estiver esperando que se dane. 

Não têm amor à própria vida e menos ainda às vidas dos outros, não respeitam o direito ao ir e vir de todos os cidadãos (motoristas e pedestres). Violência, imprudência, negligência, descaso, falta de civilidade, de ética. Não à toa, cenário que permeia todo o País.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *