O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

O advogado do diabo

A Polícia Federal está prestando um serviço
de imensa relevância nacional ao deixar a nu as relações nada republicanas
entre políticos, grandes empresários, servidores públicos do alto escalão e
contraventores. O escândalo das relações perigosas de Carlinhos Cachoeira – que
vai muito além de
esquema ilegal de jogos tipo caça-níquel – promete novos lances impactantes.
A última: Cachoeira e Cláudio Abreu, ex-diretor da Delta Construção, compraram em
dezembro de 2010 35% da fazenda Gama, localizada nos arredores de Brasília – cerca
de 4 mil hectares – por R$ 2 milhões, preço abaixo do mercado, e negociaram em
abril do ano passado propina no Incra – com envolvimento
do próprio superintendente do órgão  no DF,
Marco Aurélio Bezerra da Rocha –
para
regularizar a terra. A PF diz que o dinheiro veio de uma empresa usada pelo
grupo para lavagem de dinheiro.
Servidores da Infraero e da Receita Federal facilitavam para Cachoeira a
entrada e saída de mercadorias contrabandeadas no aeroporto de Brasília. O
senador Demóstenes Torres está prestes a ser expulso do partido e ter cassado o
mandato, em meio à torrencial divulgação de suas conversas comprometedoras, que
revelam que usou seu prestígio em favor de Cachoeira. Até o ex- ator e deputado
Stepan Nercessian já admitiu ter embolsado R$175 mil do contraventor, cujo
advogado é ninguém menos que Márcio Thomaz Bastos. Que bicho vai dar aí? Façam
suas apostas.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *