0

Serviços de relações públicas, eventos e criação de sites não podem mais ser contratados pelo governo federal em triangulação com agências de propaganda, de acordo com os efeitos – tardios – do acórdão 2.062, do TCU, proferido em 2006. A partir de agora, órgãos públicos devem contratar diretamente serviços de comunicação empresarial, mediante licitação pública, em que podem concorrer agências de comunicação que preencham os requisitos mínimos, de acordo com cada necessidade governamental.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Briga de coleguinhas

Anterior

Saracá-Taquera

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *