Membro da Academia Brasileira de Ciências Contábeis (Abracicon), a professora doutora Leila Márcia Elias participou recentemente do Congresso Internacional de Contabilidade da Universidade de São Paulo. Como parte da programação do Núcleo de Contabilidade e Meio Ambiente da USP, que…

Shäron Moalem, médico que ficou conhecido mundialmente por prever no começo da pandemia da Covid-19 que mais homens morreriam vítimas do vírus do que mulheres, diz que o sexo feminino é mais forte que o masculino quanto à sobrevivência, assim…

No período de 10 a 28 de agosto, o navio-hospital-escola Abaré começa nova expedição, oferecendo a 75 comunidades do rio Tapajós nos municípios de Santarém, Aveiro e Belterra serviços de atenção básica à saúde: consultas médicas, odontológicas e de enfermagem,…

O IV Distrito Naval da Marinha do Brasil ativou nesta quarta-feira (4), o Grupo de Embarcações de Operações Ribeirinhas do Norte uma nova Organização Militar em Belém (PA), com propósito de contribuir para a aplicação do Poder Naval na área…

Nova coleção no Polo Joalheiro

Bolsa “A Poesia da Criação”, de Celeste Heitmann

Colar “Tempero Quente”, de Bárbara Müller 
Colar “Tempatonotucupi”, de Helena Bezerra

 Colar “Tapioca”, de Ivete Negrão

 Colar “Desfrute!”, de  Erivaldo Júnior. 

 Braceletes “Mais Tucupi no Tacacá”, de Laise Lobato. 

Bracelete “Rio Negro”, de Brenda Lopes 

Bolsa “Tururi”, de Rosa Castro

Bolsa “Pirarucu”, de Rosa Castro. 
Fotos: João Ramid
Vejam que linda a coleção de acessórios de moda 2014 do Polo Joalheiro do Pará, lançada ontem, durante o jantar popular das Boieiras, em desfile na Fundação Curro Velho. São 49 peças, confeccionadas artesanalmente e de forma sustentável com materiais inusitados e reutilizáveis, dentre eles tubos de PVC, chapas de cobre, colheres de prata, pimentas de resina e penas de pato, além de gemas minerais e matéria-prima orgânica, como sementes, fibras, escamas de peixe e pérolas. A temática destaca o Mercado Ver-o-Peso. São braceletes, colares, brincos, carteiras e bolsas exclusivos, criativos e refinados. 
O conjunto “Tempatonotucupi“, da designer Helena Bezerra, é confeccionado em cobre com suporte em trama de fibra de curauá, penas de pato e zircônia, gema sintética de coloração similar à da flor do jambu.
Bárbara Müller aliou à prata, madeira e gema mineral citrino para criar o colar “Tempero Quente”. A peça destaca uma pequena colher que, segundo ela, foi descoberta entre experiências culinárias em busca de inspiração.  

Já Celeste Heitmann utiliza uma colher pequena em prata, adquirida em antiquário, na carteira “A Poesia da Criação”, da sua coleção “Comidinha de Mãe”. Inspirada nas suas memórias olfativas e gustativas, e remetendo a costumes do cotidiano do paraense, como o hábito de tomar cafezinho e experimentar novos pratos, a peça alia tradição e inovação com a utilização de gemas orgânicas e pérolas barrocas aplicadas na prata e na textura do coador de café reaproveitado, onde fica impressa uma receita escrita à mão pela mãe da designer. Bela, sofisticada e sempre com uma história para contar, como todas as peças da festejada designer, da qual eu sou fã declarada.

Patrícia Rabelo brinca de pescar com fios de alumínio cortados em forma de argolas, que depois de trançadas artesanalmente de forma harmônica, com efeito de escamas, se transformam em bolsas e braceletes denominados “Tramas”. 

O colar “Jambu”, de Camilla Amarall, tem fecho em prata, tecido e resina. No torçal de tecido que complementa o acessório,  as flores da erva  são reproduzidas em fibra de Tururi

Rosa Castro assina as bolsas “Pirarucu”, em madeira e couro de Pirarucu, e “Tururi”, que destaca desenhos coloridos feitos com a fibra de Tururi. 

O bracelete “Rio Negro”, de Brenda Lopes, é em escama de peixe pirapema, tafetá, linha de nylon e ônix, inspirado nos rios amazônicos e nos peixes que neles habitam. 

O colar e bracelete criados por Erivaldo Jr. para a coleção “Desfrute!”  têm fechos e entremeios em metais prateados e dourados para valorizar os tubos de PVC de diversas cores e formas orgânicas, translúcidos e preenchidos com água, para maior efeito lúdico dos acessórios. 

O colar “Tapioca”, criação da designer Ivete Negrão, une sustentabilidade com design moderno, a partir do conceito de reutilização. Garfos e colheres foram trabalhados junto com fio sintético, resina, pérolas e inox.

Participam da nova coleção 23 designers e criadores e 17 empresas: Ivete Negrão, Waldirene Ferreira, Izabell Roque, Jonathan Camelo, Celeste Heitmann, Graça Arruda, Erivaldo Júnior, Kelly Baradone, Mariana Bibas, Joseli Limão, Renata Maneschy, Mara Maneschy, Kátia Fagundes, Carmem Américo, Brenda Lopes, Helena Bezerra, Laíse Lobato, Nassandra Lima, Tatira Fernandes, Bárbara Müller, Camilla Amarall, Patrícia Rabelo, Rosa Castro, Bazzzola, Madame Floresta, Kdesign Acessórios, Danatureza, Remaneschy, Da Tribu, Amazônia & Cia, HS Criações & Design, Nana Pará Atelier e Tita Maria. 

As peças estão disponíveis para venda na área do Salão de Exposições do Espaço São José Liberto. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *