Ontem duas famílias viveram momentos de terror, vítimas de assalto à mão armada por volta das 13 horas, durante passeio no Parque do Utinga, um dos lugares mais lindos de Belém e importante equipamento turístico parauara. Trata-se do oitavo roubo…

Em iniciativa inédita, o Fórum de Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileiro celebra os percursos individuais e coletivos que construíram as políticas de salvaguarda do patrimônio cultural no Brasil, lançando a obra “Em Defesa do Patrimônio Cultural”, organizado por…

Neste sábado, 16, postos de saúde ficarão abertos para a vacinação com foco em menores de 15 anos. Em Belém, 11 unidades vão funcionar das 8h às 14h. A campanha da Multivacinação iniciou no dia 04 de outubro e segue…

De autoria do carnavalesco e professor Paulo Anete, o enredo para o Carnaval 2022 da Escola de Samba Grêmio Recreativo Carnavalesco e Cultural Os Colibris, de Belém do Pará, é “Zélia Amada/ Zélia de Deus/ Zélia das Artes/ Herdeira de…

Nona Sinfonia de Beethoven no Theatro da Paz

O maestro Miguel Campos Neto e os solistas, agora no ensaio. 

A Orquestra Sinfônica Altino Pimenta, regida pelo maestro Miguel Campos Neto, apresenta na terça-feira, dia 13, às 20h, no Theatro da Paz, a Nona Sinfonia de Beethoven. A entrada é gratuita e os ingressos podem ser retirados na bilheteria do teatro a partir das 9h do dia do espetáculo. A contralto Gabriella Florenzano veio a Belém especialmente para cantar no concerto, ao lado da soprano Lanna Bastos, do tenor Antonio Wilson Azevedo e do barítono Idaias Souto, além do coro criado especialmente para a ocasião, com participação do Coro Universitário da UFPA (Coruni) e regido pelo maestro Agostinho Fonseca Jr. A produção é de Audrei Alencar. 

O maestro Miguel Campos Neto, regente da OSAP desde que foi criada, ainda adolescente também participou da fundação da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz e é o seu regente titular desde 2011, trabalho que acumula com a regência da Orquestra Jovem Vale Música. É Mestre em Violino, além de Regência Orquestral, formado na Mannes College of Music de Nova York, e se dedica com ardor à sua arte e ao ensino da música a crianças e adolescentes. Foi um dos fundadores da Chelsea Symphony de Nova York, também atuou cinco anos como diretor artístico e regente titular da sinfônica nova-iorquina. Como convidado, regeu a Orquestra Sinfônica de Porto Rico, a The Mannes Orchestra e a Franz Liszt Orchestra Academy. 

Cinco músicos da Orquestra Sinfônica Maestro Wilson Fonseca, do Instituto Maestro Wilson Fonseca, de Santarém (PA) dirigido pelo maestro Agostinho da Fonseca, filho caçula do maestro Isoca, também são convidados pelo maestro Miguel Campos Neto para a 9ª Sinfonia de Beethoven: Aymê Suelem Gadêlha Pedroso, Camila Imbiriba Pereira, Elizandra Ribeiro Freire e Júlio Heleno Lages Pereira (Trompa) e Brendel Santos (Viola). 

A cantora lírica Gabriella Florenzano, que em agosto deste ano interpretou a Sorceress, um dos papeis principais da ópera Dido & Eneias, de Henry Purcell, no Grande Teatro do Palácio das Artes, em Belo Horizonte, sob a regência do maestro Márcio da Silva, foi convidada por ele para cantar o papel de Arnalta em L´incoronazione di Poppea de Claudio Monteverdi, em Londres, na Inglaterra, em julho de 2017. “O Theatro da Paz precede a fundação do Carnegie Hall, de Nova York, do Teatro Municipal de São Paulo e do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. É sempre uma honra muito grande, além da forte emoção, cantar na minha terra, regida por um grande maestro, que rege de memória, sem partitura, o que é raro no mundo inteiro – no Brasil, só Miguel Campos Neto e mais dois maestros são capazes dessa proeza -, e ao lado de uma grande orquestra, coro e solistas tão talentosos, diz Gabriella, que é bacharel em Canto Erudito pela Faculdade de Música Carlos Gomes, ligada à USP, estudou nos últimos anos em São Paulo com o baixo Eduardo Janho-Abumrad e a mezzo-soprano Edineia Oliveira, fez recitais solo e participações especiais em concertos em diversos teatros em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Florianópolis e Belém do Pará. Teve seu debut operístico em 2010, como a Sorceress na ópera Dido And Aeneas, regida pelo maestro francês Philippe Forget, no Museu Histórico do Estado do Pará; e participou do X Festival de Ópera do Pará, em 2011, interpretando Flora, a Primavera, na cantata Carmina Burana, de Carl Orff. 

A soprano Lana Bastos é formada em Canto Lírico pela Escola de Música da UFPA, na classe da professora Dione Colares e também estudou com a professora Jena Vieira no Instituto Estadual Carlos Gomes. Já atuou nas óperas As Bodas de Fígaro, de Mozart; e La Traviata, dentre outras. 

O tenor Antônio Wilson começou seus estudos de canto com o professor Carlos Oliveira, passando então à Profª. Marina Monarcha e aos professores Lindberg Pires (PE), Zuinglio Faustini (DF), Isabel Maresca (SP) e, mais tarde, Profª Neyde Thomas (PR). Participou de todas as edições do Festival de Ópera do Theatro da Paz. Recentemente foi laureado com o 1º lugar na categoria Master no 10º Maracanto, mostra competitiva de canto lírico. 

O barítono Idaias Souto se formou no curso técnico de Canto Lírico em 2005, pelo Conservatório Carlos Gomes, e atualmente cursa o terceiro ano do Bacharelado em Música, com habilitação em Canto Lírico. Participou várias vezes do Festival de Ópera do Theatro da Paz como solista e no Festival Internacional de Música do Pará. Em 2014, foi selecionado para o Lyric Opera Studio of Weimar, na Alemanha, onde foi solista na Ópera Die Lustigen Weiber von Windsor e em diversos concertos e recitais. Participou de masterclasses de canto lírico com professores de renome nacional e internacional como Laura de Souza (BRA), Celine Imbert (BRA), Damon Ploumis (EUA), Ismine Giannakis (GRE) e William Ferrara (EUA).

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *