0
“Tem golpe novo na praça.

O consumidor incauto compra uma mercadoria pela Internet.

O fornecedor manda uma conhecidíssima transportadora entregar.

A transportadora entrega a mercadoria, o consumidor passa o recibo na nota fiscal.

Minutos depois o entregador volta e diz que houve um erro na entrega e que precisa trocar a mercadoria.

O consumidor, a esta altura prestes a se tornar um otário, devolve a mercadoria ao entregador. O golpe completa-se nesse exato momento, pois a mercadoria não é trocada e quando o consumidor, dias depois, reclama ao fornecedor, este diz que a mercadoria foi entregue, prova que foi entregue com o recibo na nota fiscal e o consumidor, agora já otário consumado, não tem como provar que devolveu ao entregador.

Em pelo menos um caso a vítima compareceu ao galpão da conhecida transportadora, lá para as bandas de Icoaracy e reconheceu o entregador que, cara-de-pau, negou tudo.”

(Do juiz trabalhista José Maria Quadros de Alencar, em seu blog)
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Vocação mineral

Anterior

No Blog do Puty

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *