0


Fotos e informações da assessoria de imprensa do projeto

Na passagem da caravana do Projeto “O Pará que Queremos”, do Instituto Teotônio Vilela, em Ulianópolis, Paragominas, Ipixuna do Pará e Aurora do Pará, o ex-governador Simão Jatene (PSDB) insistiu que “um governo precisa ter credibilidade para formar as alianças necessárias ao desenvolvimento do Estado”.

Em Paragominas, Jatene realçou que o município é o grande modelo de desenvolvimento para a região. Administrado pelo PSDB há quase 15 anos, é o único do Brasil que já saiu da lista dos maiores devastadores da floresta amazônica. “Esse avanço foi possível graças a um grande pacto firmado entre o governo municipal e a sociedade. Todos colaboraram para o desenvolvimento e isso é possível expandir para todo o Estado”, defendeu.

Em Aurora do Pará, o presidente da Câmara Municipal, João Baiano (PR), denunciou que a falta de água é grave na cidade: “muita gente tem banheiro em casa, mas nunca teve a felicidade de tomar um banho de chuveiro na vida”.

O grande câncer desta região é a falta de regularização fundiária, que facilita as invasões e dificulta o acesso ao crédito tanto para os grandes quanto para os pequenos”, afirmou o empresário Valdoli Ciprandi, no encontro em Ulianópolis, onde o vice-prefeito Clenilton Oliveira (PTB) pediu mais investimentos na educação e a construção de uma escola agrotécnica. “Já existe uma área doada para isso pelos empresários daqui. A proposta foi incluída no PTP do atual governo. Mas as obras ficaram só no papel. Nada foi construído”, reclamou.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Sonho de duas décadas

Anterior

Videodança

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *