0
O deputado federal Arnaldo Jordy (PPS-PA) requereu informação ao Ministro-Chefe da CGU – Controladoria Geral da União, Valdir Simão, sobre acordos de leniência com as empreiteiras investigadas na operação Lava Jato, suspeitas de formação de cartel para desvios milionários em contratos da Petrobrás.
Quer saber se já houve algum pedido formal para o acordo e de quem partiu a proposta, bem como a viabilidade de tais acordos sem a regulamentação da Lei 12.846/13. Para Arnaldo Jordy –
 que questiona, ainda, se isto pode afastar uma eventual declaração de inidoneidade das empresas investigadas –, é um despropósito, devido à natureza e a gravidade das denúncias apresentadas pelo Ministério Público Federal. Entidades representativas de auditores de controle externo e procuradores de Tribunais de Contas também divulgaram nota pública afirmando que possíveis acordos não isentam as empreiteiras de punições na área penal. 

Mas a Câmara dos Deputados agora está envolta em seu novo – e próprio – escândalo, a aprovação do pagamento de passagens aéreas para esposas e maridos de parlamentares (para amantes não é necessário se expor tanto), medida que vai na contramão do que se espera do Congresso. É no mínimo estranho. Se fosse em uma empresa, o trabalhador não
poderia levar a família em uma viagem de trabalho, então o por que aqui tem que
ser liberado?”
, protestou a
terceira secretária da Casa,
deputada Mara Gabrilli (SP). 
Para o líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP),é inaceitável que, num momento em
que a sociedade é penalizada com o aumento de impostos e alta nos preços,
conceda-se esse privilégio aos parlamentares. É um total desrespeito com os
brasileiros.” 

Cai o pano.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Plataforma logística sairá do papel

Anterior

Bancada do batom

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *