Ontem duas famílias viveram momentos de terror, vítimas de assalto à mão armada por volta das 13 horas, durante passeio no Parque do Utinga, um dos lugares mais lindos de Belém e importante equipamento turístico parauara. Trata-se do oitavo roubo…

Em iniciativa inédita, o Fórum de Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileiro celebra os percursos individuais e coletivos que construíram as políticas de salvaguarda do patrimônio cultural no Brasil, lançando a obra “Em Defesa do Patrimônio Cultural”, organizado por…

Neste sábado, 16, postos de saúde ficarão abertos para a vacinação com foco em menores de 15 anos. Em Belém, 11 unidades vão funcionar das 8h às 14h. A campanha da Multivacinação iniciou no dia 04 de outubro e segue…

De autoria do carnavalesco e professor Paulo Anete, o enredo para o Carnaval 2022 da Escola de Samba Grêmio Recreativo Carnavalesco e Cultural Os Colibris, de Belém do Pará, é “Zélia Amada/ Zélia de Deus/ Zélia das Artes/ Herdeira de…

MPF-PA cobra multas e prisão de 23 desmatadores

Desde a Operação Castanheira, dez dos 23 denunciados em setembro de 2014 voltaram a ser acusados em novas ações do Ministério Público Federal, que agora ajuizou mais 17 processos para cobrar R$ 34 milhões (por danos materiais) e R$ 48 milhões (por danos morais) de Giovany Marcelino Pascoal, que teria desmatado, entre 2006 e 2014, 6,5 mil hectares na Floresta Nacional de Altamira, vicinal Sarandi e outras áreas no entorno da BR-163. O uso de grande parte delas havia sido proibido pelo Ibama, que já aplicou multa de R$ 48 milhões contra o acusado. Ao todo, Giovany Marcelino Pascoal já responde a 25 processos civis e penais movidos pelo MPF em Itaituba e Altamira, no sudoeste do Pará. As ações também cobram o reflorestamento das áreas degradadas, planos de recuperação instruídos pela autarquia ambiental, com cronograma de execução e propostas para o monitoramento e manutenção das medidas corretivas implementadas, entre outros dados


O MPF pediu à Justiça Federal que seja estabelecido prazo de 90 dias para a recuperação das áreas, sob pena de multa de R$ 50 mil por dia de descumprimento das decisões, mesmo valor da multa em caso de reincidência na prática de desmatamento ilegal.
Também foi requerido o bloqueio de bens de Giovany Pascoal e que o valor a ser pago em indenizações seja direcionado a fundos de defesa do meio ambiente e dos direitos humanos.
O MPF quer, ainda, que o acusado tenha suspensos seus direitos de participação em linhas de financiamento oferecidas por estabelecimentos oficiais de crédito e que deixe de ter acesso – ou que o acesso seja reduzido – a incentivos e benefícios fiscais oferecidos pelo poder público. 



A Operação Castanheira foi deflagrada em agosto de 2014 pela Polícia Federal, Ibama, Receita Federal e MPF.
A condenação dos 23 denunciados pode alcançar um total de 1.077 anos de cadeia pela prática de 17 tipos de crimes. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *