Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

As Diretorias de Combate à Corrupção e de Polícia do Interior da Polícia Civil do Pará prenderam hoje (28), no Distrito Federal, durante a Operação "Litania”, uma falsa empresária e sócios-proprietários que utilizavam empresa de fachada como instituição financeira para…

A Secretaria de Estado da Fazenda do Pará publicou extrato de dispensa de licitação para contratar a Prodepa, por R$800.427,88, a fim de desenvolver novo site da Transparência do Governo do Pará, com criação de nova arquitetura de informação, navegação…

Andar de motocicleta proporciona histórias, experiências e adrenalina. Motos oferecem facilidade de locomoção rápida e de conseguir estacionamento. Mas a liberdade é, sem dúvida, o motivo número 1 de todo motociclista. Sentir o vento, o clima, fazer parte da paisagem. Este é…

Mensalão do DEM

A OAB-DF e a oposição na Câmara Legislativa distrital estudam pedido de impeachment do governador José Roberto Arruda (DEM), por crime de responsabilidade.

Há imagens mostrando Arruda negociando a divisão de R$ 600 mil recebidos das empresas Infoeducacional, Vertax, Adler, Conbral e Linknet, que têm convênio com o governo do Distrito Federal, para serem repassados à base aliada.

A bancada do PT na Câmara Legislativa também vai abrir processo de investigação dos deputados distritais aliciados por quebra de decoro parlamentar, e requerer “CPI da Corrupção“, para apurar os fatos que desencadearam a Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, autorizada pelo Superior Tribunal de Justiça.


O abacaxi é grande. Pela
Constituição Federal, o vice-governador Paulo Octavio (DEM), assumiria, num eventual impeachment.
Acontece que ele também é mencionado em gravações da PF como participante do esquema de pagamento de propina, por ser proprietário da construtora Conbral – acusada de repassar dinheiro para os envolvidos.

Nesse caso, o presidente da Câmara do DF, Leonardo Prudente (DEM), assumiria o mandato, mas ele também é citado como envolvido do esquema.
Então, o presidente do Tribunal de Justiça do DF teria que ficar em exercício no cargo até novas eleições para a escolha do governador.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *