A sesquicentenária samaumeira que perdeu seus galhos na madrugada desta segunda-feira (6) é memória afetiva de todos os paraenses e até de gente de fora do Pará e do Brasil que frequenta Belém durante o Círio de Nazaré. Localizada em…

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará oficializou o resultado da eleição suplementar em Viseu 39 minutos após o encerramento da votação. Foi eleito prefeito Cristiano Vale (nº 11 – PP – Voltando pra Cuidar da Gente) e vice-prefeito Mauro da…

Nem bem foi inaugurado, e ainda faltando a instalação dos bancos e finalização, o calçadão da Avenida Beira-Mar, em Salinópolis, sofreu diversas avarias. A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras acionou a empresa responsável pela obra, que está executando ações…

A expectativa era grande em relação à ida do governador Helder Barbalho à Assembleia Legislativa para a leitura da Mensagem na instalação da 61ª Legislatura. Funcionou como uma espécie de termômetro da Casa, que abriga novos deputados na oposição, e…

Medidas emergenciais no lixão de Marituba

A Revita/Guamá Tratamento de Resíduos tem 15 dias para instalar sistema de drenagem pluvial definitivo no aterro sanitário metropolitano, em Marituba, 30 dias para a cobertura definitiva dos resíduos expostos e da lagoa de chorume, 20 dias para apontar tecnologia destinada a amenizar o odor e 10 dias para apresentar plano de investigação ambiental de contaminação de solo ou corpo hídrico, entre outros. Os prazos foram dados pela Semas, como medidas emergenciais. Ontem de manhã, o governador Simão Jatene foi ver a situação, acompanhado pelo secretário de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Luiz Fernandes Rocha, e à noite reuniu também com os prefeitos de Belém, Zenaldo Coutinho; Ananindeua, Manoel Pioneiro, e Marituba, Mário Filho, para discutir e analisar possíveis soluções. 

Durante as vistorias ao aterro sanitário de Marituba, técnicos da equipe de licenciamento da Semas detectaram falhas operacionais e iniciaram as notificações. Só nos primeiros meses deste ano foram aplicados 14 autos de infração, número igual ao registrado em todo o ano passado. Do total, cinco foram apuradas e tiveram lavradas as multas que, juntas, totalizam cerca de R$150 mil. Os demais documentos estão em avaliação jurídica para verificação de valores.
Caso as medidas estabelecidas não sejam cumpridas, a empresa deverá pagar multa diária de 100.000 UPF’s (Unidades de Padrão Fiscal), o que equivale a R$320 mil, além de autuações por infração continuada.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *