0
João Carlos Souza da Conceição e Elaine Cristina Teixeira Dantas começaram um namoro via WhatsApp e, em janeiro do ano passado, depois de três meses de conversas eletrônicas, marcaram de se encontrar na casa dele, no bairro de Águas Lindas, em Ananindeua. Lá, João Carlos estrangulou a moça e a enterrou no quintal da casa, que pertencia à mãe dele. Após alguns dias, a mãe de João Carlos sentiu mau cheiro e questionou o filho, que confessou o crime. A mãe chamou a polícia. Anteontem, o Tribunal do Júri de Ananindeua, presidido pela juíza Cristina Sandoval Collyer, acatou os argumentos do promotor de justiça Carlos Lamarck e condenou o assassino a 23 anos de prisão. Mais um exemplo do perigo desse tipo de relacionamento.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Somos todos Sérgio Serra

Anterior

122 anos de Mosqueiro

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *