Área contígua ao centro histórico de Belém do Pará, Zona Especial do Patrimônio Histórico declarada por lei, o bairro do Reduto, cenário industrial da belle Époque, da Doca do Reduto no início do século XX, com suas canoas coloridas repletas…

A Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça fixou, sob o rito dos recursos repetitivos, a tese de que o servidor federal inativo, independentemente de prévio requerimento administrativo, tem direito à conversão em dinheiro da licença-prêmio não usufruída durante a…

O prefeito Edmilson Rodrigues cumpriu agenda institucional em Brasília, ao lado do secretário municipal de Gestão e Planejamento, Cláudio Puty. No Ministério da Economia, trataram das obras de saneamento básico no Canal do Mata Fome, no bairro do Tapanã, onde…

O leite materno contém propriedades importantes para o crescimento e desenvolvimento do bebê, fortalecendo a sua imunidade contra diversas doenças. Em 1992 a Aliança Mundial de Ação Pró-Amamentação criou a Semana Mundial de Aleitamento Materno, de 1 a 7 de…

Marcha de Belém contra tabalho infantil

No próximo dia 1º de março, a Marcha de Belém pela erradicação do Trabalho Infantil fará concentração às 8h na Praça Batista Campos, com saída às 8:30h. O percurso inclui a rua dos Mundurucus, trav. Benjamin Constant, avenidas Nazaré e Assis de Vasconcelos, rua Osvaldo Cruz, Av. Presidente Vargas e Teatro da Paz, na Praça da República (local de chegada)O evento é coordenado, em todo o País, pela juíza do Trabalho titular da 5ª Vara do Trabalho de Belém, Zuíla Dutra, que, junto com a juíza Vanilza Malcher, da 2ª VTB do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região, também gestora regional da campanha “Dê um Cartão Vermelho ao Trabalho Infantil” e parceiros, convidam todos a participar.


A ideia é conscientizar a sociedade sobre a importância de unir esforços pela proteção da infância e o desenvolvimento integral das crianças e adolescentes. 


Logo na primeira semana do ano, as coordenadoras regionais de combate ao trabalho infantil, juízas Zuíla Dutra e Vanilza Malcher, receberam da Secretaria de Educação do Estado do Pará os questionários aplicados junto aos alunos das escolas públicas estaduais, entre 07 a 17 anos. No material, elaborado com o auxílio de parceiros, foram levantadas informações sobre a realidade do impacto do trabalho na vida dessas crianças e jovens.
Com isso, a base de dados da pesquisa, que prevê a aplicação de mais de um milhão de questionários em todo o Pará, já tem início com os mais de 300 mil alunos das escolas estaduais localizadas na grande Belém, que engloba a capital do Pará e sua zona metropolitana. A tabulação desse material será realizada pela UFPA, por meio de seu Instituto de Pesquisa. Para selar a participação da universidade, as magistradas estiveram em reunião na Reitoria, quando apresentaram para os professores o questionário, detalharam a ação e explicaram como o Instituto poderia contribuir para a compilação dos dados já recebidos e os que ainda irão chegar, pois alguns municípios já estão respondendo ao ofício encaminhado, convidando para aplicar a pesquisa nas suas redes de ensino, como é o caso de Abaetetuba, que planeja aplicar o questionário para todos os seus alunos. 



Em visita de cortesia ao prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, o presidente do TRT8, Desembargador do Trabalho Sérgio Rocha, apresentou a ação da pesquisa e destacou seu ineditismo, já que o objetivo é levantar dados concretos sobre o impacto do trabalho infantil no desenvolvimento de crianças e adolescentes, incluindo os fatores de evasão escolar, junto ao próprio público atingido. Convidado a participar, o prefeito determinou que a Semec buscasse os detalhes para aplicar a pesquisa junto aos alunos da rede municipal da capital paraense.
Os resultados do primeiro material aplicado junto aos alunos dos dois municípios, bem como dos alunos da rede estadual de ensino de Belém e zona metropolitana, serão entregues em junho deste ano, no Palácio do Planalto, quando da Marcha Nacional pela erradicação do trabalho infantil, na capital federal. 



A Marcha de Belém pela erradicação do trabalho infantil consiste em uma caminhada da sociedade civil, nas ruas de Belém, contra a exploração do trabalho de crianças e adolescentes e pela garantia de uma vida plena de educação, saúde, lazer e amor, e de todos os demais direitos que o artigo 227 da Constituição Federal lhes assegura.
Para ampla participação da população, as coordenadoras têm realizado reuniões com todos os parceiros. Faculdades participarão da compilação dos dados da pesquisa e incluirão a participação de seus novos calouros na marcha como uma atividade de início das atividades letivas.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *