Nesta quinta-feira, dia 21, até o sábado, 23, a Escola do Legislativo da Assembleia Legislativa do Pará oferece os cursos de qualificação e atualização do projeto Forma Alepa/Elepa Itinerante em Santarém, atendendo toda a região do Baixo Amazonas, abrangendo também…

Em reunião conjunta das Comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (18) foi aprovado o projeto de lei nº 363/2021, que autoriza o Governo do Pará a contratar operação…

Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

Laudos do caso Pau D’Arco na reta final

A prisão de 11 policiais militares e 2 civis de Redenção, no sul do Pará, por 30 dias, pode ser prorrogada ou convertida em preventiva, e o Ministério Público estadual continua a apurar as dez mortes em Pau D’Arco, durante a operação policial na fazenda Santa Lúcia, em maio. Algumas medidas ainda dependem de laudos técnicos. Uma das linhas de investigação é de que houve execução e financiamento da ação: parte dos tiros foi à queima-roupa, de cima para baixo, e nenhuma das dez vítimas tinha resquícios de pólvora nas mãos. 

A delação premiada de um delegado e um investigador da polícia civil pôs fim ao silêncio oficial quanto às circunstâncias das dez mortes. Conforme os delatores, os PMs perseguiram pela mata fechada e cercaram os posseiros, antes de executá-los.

Em entrevista coletiva no final da tarde, hoje, o procurador-geral de justiça Gilberto Valente Martins, os promotores de justiça Alfredo Martins de Amorim, José Alberto Grisi Dantas e Leonardo Jorge Lima Caldas – autores do pedido de prisão temporária – e a procuradora da República Tatiana Versiani, deram informações sobre o caso. Os delatores estão incluídos no programa de proteção às testemunhas. 

Na noite da sexta-feira, 7, o pedido de prisão foi recebido pelo superintendente da Polícia Federal no Pará, delegado Uálame Machado, que procurou a Secretaria de Segurança e cumpriu os mandados hoje de manhã. Os envolvidos foram notificados para que se apresentassem por dever funcional, e atenderam espontaneamente. Os militares estão recolhidos ao quartel da PM e os policiais civis ao quartel do Corpo de Bombeiros. 

Os laudos balísticos e da reprodução simulada servirão para individualizar as condutas. Durante sete dias, peritos estiveram na Fazenda Santa Lúcia, para a reconstituição da ação, finalizada ontem. O laudo de balística deve ficar pronto ainda nesta semana. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *