Governador do Pará e presidente do Consórcio de Governadores da Amazônia Legal, Helder Barbalho está com agenda intensa em Brasília, e em reunião com Lula nesta sexta-feira (27) apresentou documento proposto pelo CAL. Para o desenvolvimento regional do bioma amazônico,…

O Papa Francisco nomeou o atual bispo da prelazia de Marajó (PA), Dom Evaristo Pascoal Spengler, bispo de Roraima (RR), que estava sem titular há um ano, desde a transferência de Dom Mário Antônio da Silva para a arquidiocese de…

Utilizar o futebol como ferramenta de transformação social para crianças e adolescentes de todo o Pará é o objetivo do projeto "Futebol Formando Cidadão", que será lançado neste domingo (29) no oeste paraense. A iniciativa é do Tapajós Futebol Clube,…

No próximo sábado, 28, é o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. Esta semana, foram divulgados dados da Secretaria de Inspeção do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) referente a 2022, quando foram resgatados 2.575 trabalhadores em condições análogas…

Jonas Arraes no IHGP


O maestro Jonas Monteiro Arraes, professor da Universidade do Estado do Pará (UEPA) e da Fundação Carlos Gomes, doutorando em Ciências da Educação pela Universidade Nacional de Rosário-Argentina, graduado em Música pela Universidade Federal da Bahia e com Mestrado em Artes Musicais pela Campbellsville University, pesquisador voluntário do Museu da Universidade Federal do Pará, pesquisador associado ao GEMAM – Grupo de Estudos Musicais da Amazônia (UEPA) e GEPEM – Grupo de Estudo e Pesquisa em Música (UEPA) atuando principalmente nos temas: música, História, educação, cultura e acervo musical, toma posse na próxima quarta-feira, dia 22, às 19h, como sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, na cadeira nº 69, que tem como patrono o saudoso pesquisador, historiador, folclorista e musicólogo Vicente Juarimbu Salles, personalidade ímpar na história da pesquisa no Pará, que ao longo da vida inteira garimpou livros, periódicos, correspondências e vários documentos sociais e culturais que compõem a riquíssima coleção que legou à posteridade. São mais de quatro mil documentos e mais de 70 mil recortes de jornal sobre música, folclore, negro, artes cênicas e literatura, além de cartuns, fotografias de época, cordéis, peças de teatro do repertório regional e nacional, teses, folhetos e cartazes, inclusive muitas obras raríssimas no acervo, como partituras manuscritas do século XIX, partituras do período da Belle Époque, fitas de rolo e discos vinis de 78 rpm com gravações de melodias e entrevistas com compositores e músicos.

O trabalho de revitalização do IHGP que está sendo desenvolvido pela professora Anaíza Vergolino, presidente do Silogeu, é admirável. E a escolha de Jonas Arraes tem sentido particularmente feliz pela identidade que ele tem com a obra de Vicente Salles, “Músicas e Músicos do Pará”, cuja terceira edição foi reeditada sob sua coordenação, sendo o prefácio de sua autoria. A primeira edição do livro foi lançada em 1970 e trata de todas as manifestações musicais do Pará, desde o período colonial até os dias de hoje, dos instrumentos e outros objetos relacionados às músicas e biografias de músicos que o grande Vicente Salles levantou ao longo dos anos. 

O orador oficial na noite que já se anuncia memorável será o professor doutor Aldrin Moura de Figueiredo.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *