0

O deputado Fernando Coimbra (PDT) já andou de seca a Meca desde o início do ano, atrás de garantias de que os R$ 150 milhões, oriundos de emendas ao orçamento da União e destinados a obras de infraestrutura em 38 municípios do sul e sudeste paraense, não sejam perdidos.
Conversou com o chefe da Casa Civil, deputado federal Zenaldo Coutinho (PSDB); o líder do Governo, deputado Márcio Miranda (DEM); o líder do PSDB, deputado Megale (PSDB); e o titular da Sedurb. Ouviu de todos promessas de que os recursos seriam garantidos. Entretanto, os 145 projetos pendentes sequer obtiveram licença ambiental nem a contrapartida de 10% do governo do Estado.
No tradicional jogo de empurra, a culpa é atribuída ao governo de Ana Júlia Carepa (PT); mas, além do fato de que a administração pública é impessoal, muitos dos projetos datam do ano 2000, ainda no governo Almir Gabriel(PSDB), atravessaram a gestão de Simão Jatene (PSDB) e até agora necas. São obras e serviços de saneamento urbano e rural, pavimentação de estradas vicinais, construção de pontes de concreto e projetos agropecuários.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Operação carniça

Anterior

Balanço da oposição

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *