0

 

O líder do PDT na Assembleia Legislativa do Pará, deputado Ivonaldo Braz, estava com a carreira política de vento em popa, maré cheia, céu azul com nuvens brancas. Como diz o populacho, o poder inebria e é afrodisíaco. E o jogo político é intenso e pesado, amadores não aguentam o playground. Daí que foi só ele se pré-candidatar a prefeito de Parauapebas e aparecer bem nas pesquisas que estão ao sabor das encomendas e começou seu inferno astral. De com força, como diz a patuleia. 

Não por acaso, vazaram nudes do deputado em conversa através de aplicativo de vídeo com uma mulher. Coincidentemente, para agravar ainda mais a situação, ela seria ex de outro político que também já se declarou pré-candidato a prefeito em Parauapebas, o vereador Aurélio Goiano (PL), que escapou de perder o mandato. Depois dessa rasteira, o deputado ficou literalmente mal na foto e com sérios problemas dentro do lar, já que é casado. 

O atual presidente da Câmara Municipal de Parauapebas, vereador Rafael Ribeiro (MDB), já foi apontado pelo prefeito Darci Lermen como seu sucessor e tem o apoio da Federação PSDB/Cidadania, mas ainda precisa destrinchar o nó do deputado federal Keniston Braga, que quer porque quer a cadeira, é do mesmo partido e diz contar com o apoio do PCdoB, PSB, Republicanos, PTB, PV, PP e talvez o PT. 

É um salve-se quem puder e cada qual por si na bilionária Parauapebas. Ex-aliado de Keniston, o empresário Branco da White (União Brasil) andou chutando o balde. Disparou a metralhadora giratória e vai encarar a disputa. Disse em um grupo de WhatsApp que “se o Darci quiser me ajudar, bom. Mas se não quiser, bom também”. “O governador a mesma coisa”. “O que eu preciso mesmo é do apoio dos moradores de Parauapebas”. Espicaçando Keniston e Braz, ele disse ainda que “deputado tem que ficar pelo menos quatro anos no mandato para o qual foi eleito. A cidade fez certo elegendo estadual e federal. Agora vem essa conversa. Falei isso ano passado e continuo no mesmo posicionamento”. Brabo!

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Pará é o primeiro do Brasil em população autodeclarada parda

Anterior

Oriximiná ganhou Mirante do Trombetas

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *