Nesta quinta-feira, dia 21, até o sábado, 23, a Escola do Legislativo da Assembleia Legislativa do Pará oferece os cursos de qualificação e atualização do projeto Forma Alepa/Elepa Itinerante em Santarém, atendendo toda a região do Baixo Amazonas, abrangendo também…

Em reunião conjunta das Comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (18) foi aprovado o projeto de lei nº 363/2021, que autoriza o Governo do Pará a contratar operação…

Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

J. Bosco no Salão Internacional de Humor de Piracicaba


O premiado jornalista, cartunista, ilustrador, caricaturista e chargista parauara J. Bosco está concorrendo novamente ao Prêmio Júri Popular do
43º Salão Internacional de Humor de Piracicaba(SP), criado em 1974, em meio à ditadura militar, como uma iniciativa corajosa de um grupo de  jornalistas, artistas e intelectuais que costumavam se reunir num conhecido bar da cidade, chamado Café do Bule. 

Tudo começou em 1972, quando os piracicabanos Alceu Marozzi Righeto, Adolpho Queiroz e Carlos Colonnese foram ao Rio de Janeiro, no jornal “O Pasquim”, mostrar o projeto ao cartunista Jaguar, que aprovou a iniciativa e na hora autorizou a cessão de seus originais em poder da Editora Abril, que não atendeu ao pedido e a mostra não aconteceu.
Depois, um grupo maior, encabeçado por Luiz Antônio Lopes Fagundes – na época Secretário Municipal de Turismo de Piracicaba – que incluiu Roberto Antonio Cêra, Ermelindo Nardin e Luis Mattiazzo, conseguiu também o apoio de Millôr Fernandes, Paulo Francis e Zélio Alves Pinto, que participaram logo do primeiro Salão. O sucesso foi tal que a partir da terceira edição o evento se tornou internacional, transformando Piracicaba em uma espécie de capital do humor para a qual anualmente tem os olhos de artistas do mundo inteiro voltados para si. 

Ziraldo, Fortuna, Henfil, Luis Fernando Veríssimo, Paulo e Chico Caruso, Miguel Paiva, Angeli, Laerte, Glauco, Edgar Vasques, Jaime Leão, Gual e Jal, grandes nomes do humor, também contribuíram muito para o sucesso do Salão, que  agora é um dos mais importantes no universo das artes gráficas.

Cliquem aqui e votem no cartum do J.Bosco.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *