O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Chicão, convocou e empossou Torrinho Torres, primeiro suplente do Podemos, na vaga do deputado Igor Normando, que está licenciado para exercer o cargo de secretário de Estado de Articulação da Cidadania. O novo parlamentar…

Reconhecimento máximo da Associação Paulista de Críticos de Artes a obras de Literatura, Música popular, Arquitetura, Artes Visuais, Cinema, Dança, Rádio, Teatro, Teatro Infantojuvenil e Televisão, o Prêmio IPCA, anunciado na segunda-feira, 6/2, contemplou o livro de contos “Eu já…

A sesquicentenária samaumeira que perdeu seus galhos na madrugada desta segunda-feira (6) é memória afetiva de todos os paraenses e até de gente de fora do Pará e do Brasil que frequenta Belém durante o Círio de Nazaré. Localizada em…

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará oficializou o resultado da eleição suplementar em Viseu 39 minutos após o encerramento da votação. Foi eleito prefeito Cristiano Vale (nº 11 – PP – Voltando pra Cuidar da Gente) e vice-prefeito Mauro da…

Inocência Roubada

O juiz Deomar Pinho Barroso, titular da 3ª Vara Criminal de Abaetetuba, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, lança hoje a Revista “Inocência Roubada”. A publicação integra um conjunto de medidas para o fortalecimento da rede de combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes em Abaeté, e foi elaborada por equipe multidisciplinar, com foco no público infanto-juvenil, abordando o tema de forma lúdica.
A programação começa às 8h, na Praça do Barco, e conta com a participação de escolas da rede de ensino público Municipal e Estadual, além de outros órgãos e entidades locais, sobretudo as que integram a rede de proteção dos direitos da criança e do adolescente.
No auditório do Fórum, haverá atividades direcionadas aos professores, ressaltando o papel da escola no eixo da prevenção e denúncia de abuso e exploração sexual.
O juiz Deomar Barroso vai apresentar a metodologia de Depoimento Especial, implantada na Comarca em novembro de 2009, por sua iniciativa e do promotor de justiça Lauro Francisco de Freitas Júnior. Trata-se da inquirição em juízo de crianças e adolescentes com a intermediação de psicólogos, pedagogos e assistentes sociais, de modo a evitar a revitimização subsequente à violência sofrida. A experiência é pioneira no Pará. Já foram realizados 47 depoimentos, sendo 45 de abuso sexual e 2 de violência física. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *