A expectativa era grande em relação à ida do governador Helder Barbalho à Assembleia Legislativa para a leitura da Mensagem na instalação da 61ª Legislatura. Funcionou como uma espécie de termômetro da Casa, que abriga novos deputados na oposição, e…

Foram empossados hoje na Assembleia Legislativa do Pará os 41 deputados estaduais eleitos para a 61ª Legislatura (2023-2027). Em seguida houve eleição para a Presidência e a Mesa Diretora, em chapa única, tendo sido reeleito praticamente à unanimidade – por…

O governador Helder Barbalho está soltando a conta-gotas os nomes dos escolhidos para compor o primeiro escalão de seu segundo governo. Nesta quarta-feira será a posse dos deputados estaduais e federais e dos senadores, e a eleição para a Mesa…

Pela primeira vez na história, está em curso  um movimento conjunto da Academia Paraense de Letras, Academia Paraense de Jornalismo, Instituto Histórico e Geográfico do Pará e Academia Paraense de Letras Jurídicas, exposto em ofício ao governador Helder Barbalho, propondo…

Índios e agricultores

Representantes de movimentos sociais, sindicatos e agricultores estão em Brasília para discutir com o Ministério da Justiça e a Funai a situação na Terra Indígena Cachoeira Seca, localizada entre os municípios de Uruará e Placas, região da Transamazônica, no polo Iriri.

Rica em recursos naturais, a área abriga indígenas da etnia Arara, e seria intenção da Funai aumentar a reserva. Detalhe: no mesmo espaço também vivem, há mais de 30 anos, pelo menos 1.500 famílias de agricultores, que não têm claro para onde seriam remanejadas. A nova demarcação atingiria cinco assentamentos rurais criados pelo  Incra.

Índios e agricultores convivem pacificamente, mas a nova demarcação pode gerar focos de conflitos fundiários. Desde a tarde do último domingo, agricultores estão acampados às margens da vicinal da Transiriri, a 60 Km de Uruará, em vigília, aguardando o resultado das negociações.

A comissão de negociação defende uma área de 480 mil hectares de terra para os indígenas, como era a proposta inicial para a demarcação das terras.

O cenário no território da Transamazônica e Xingu, na Reserva Extrativista Verde Para Sempre, em Porto de Moz, preocupa. Existem 54 pedidos de reintegração de posse, um deles já com liminar favorável ao fazendeiro Haroldo Coimbra. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *