A expectativa era grande em relação à ida do governador Helder Barbalho à Assembleia Legislativa para a leitura da Mensagem na instalação da 61ª Legislatura. Funcionou como uma espécie de termômetro da Casa, que abriga novos deputados na oposição, e…

Foram empossados hoje na Assembleia Legislativa do Pará os 41 deputados estaduais eleitos para a 61ª Legislatura (2023-2027). Em seguida houve eleição para a Presidência e a Mesa Diretora, em chapa única, tendo sido reeleito praticamente à unanimidade – por…

O governador Helder Barbalho está soltando a conta-gotas os nomes dos escolhidos para compor o primeiro escalão de seu segundo governo. Nesta quarta-feira será a posse dos deputados estaduais e federais e dos senadores, e a eleição para a Mesa…

Pela primeira vez na história, está em curso  um movimento conjunto da Academia Paraense de Letras, Academia Paraense de Jornalismo, Instituto Histórico e Geográfico do Pará e Academia Paraense de Letras Jurídicas, exposto em ofício ao governador Helder Barbalho, propondo…

Gilberto Valente será o novo PGJ

O governador Simão Jatene já escolheu o novo procurador geral de Justiça. É o promotor de justiça Gilberto Valente Martins, segundo colocado na lista tríplice eleita pelo Ministério Público do Estado do Pará. A nomeação será publicada na segunda-feira no Diário Oficial. 

Nascido em Belém, em 28 de dezembro de 1961, graduado em Direito pela Universidade Federal do Pará, Mestre em Direito pela Universidade de Coimbra, Gilberto Martins já foi por duas vezes membro titular do CNJ, o Conselho Nacional de Justiça. 

No início de sua trajetória profissional, atuou como estagiário do Tribunal de Justiça do Pará, no Cartório Rhossard (2º Ofício Cível) e na assessoria jurídica da Companhia de Desenvolvimento de Barcarena (Codebar). Foi Defensor Público Estadual e atuou como chefe de gabinete da Procuradoria-Geral do Estado do Pará. Tornou-se promotor de justiça em 1990, tendo exercido funções de assessoria ao Procurador-Geral de Justiça, na 1° Promotoria de Justiça Militar, na fiscalização da atividade da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar do Estado. Integrou o Grupo Especial de Prevenção e Repressão às Organizações Criminosas e o Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas. 

Ao longo de sua carreira, o futuro PGJ participou de diversas ações integradas de repressão ao crime organizado, tendo colaborado também com os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pirataria, criada pela Câmara dos Deputados em 2003. Na Agência Brasileira de Inteligência – Abin, fez o 1º Curso Básico de Inteligência para Membros do Ministério Público Brasileiro, e no Ministério da Defesa cursou a Escola de Inteligência Militar do Exército, com estágio especial de Inteligência para o Ministério Público Militar e o Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas – GNCOC. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *