0

Já não se fazem mais socialites como antigamente. Vejam só esta: os donos de um restaurante na rua Oscar Freire, uma das áreas mais nobres de São Paulo, respondem processo por furto qualificado, de água da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

Trocando em miúdos, o indefectível gato(!).

Eles modificaram as engrenagens do relógio do hidrômetro. De acordo com o inquérito policial, o valor do furto ultrapassava R$ 57 mil, isto ainda em 2005.

O TJE-SP condenou os espertinhos em 2007. Agora, a 5ª Turma do STJ não refrescou: negou provimento ao recurso em habeas corpus no qual eles pediam o trancamento da ação penal.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Novo xerife

Anterior

Vitória Ficha Limpa

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *