Área contígua ao centro histórico de Belém do Pará, Zona Especial do Patrimônio Histórico declarada por lei, o bairro do Reduto, cenário industrial da belle Époque, da Doca do Reduto no início do século XX, com suas canoas coloridas repletas…

A Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça fixou, sob o rito dos recursos repetitivos, a tese de que o servidor federal inativo, independentemente de prévio requerimento administrativo, tem direito à conversão em dinheiro da licença-prêmio não usufruída durante a…

O prefeito Edmilson Rodrigues cumpriu agenda institucional em Brasília, ao lado do secretário municipal de Gestão e Planejamento, Cláudio Puty. No Ministério da Economia, trataram das obras de saneamento básico no Canal do Mata Fome, no bairro do Tapanã, onde…

O leite materno contém propriedades importantes para o crescimento e desenvolvimento do bebê, fortalecendo a sua imunidade contra diversas doenças. Em 1992 a Aliança Mundial de Ação Pró-Amamentação criou a Semana Mundial de Aleitamento Materno, de 1 a 7 de…

Fim da impunidade contra jornalistas

Ontem foi o primeiro “Dia Internacional para o Fim da Impunidade de Crimes Contra Jornalistas”. A ONU divulgou mensagem defendendo o fim da impunidade contra os criminosos que tentam impedir a democracia e a liberdade de expressão e denunciando a morte de 800 jornalistas nos últimos dez anos «pelo simples fato de fazerem o seu trabalho», lembrando que só em 2013 foram executados 17 jornalistas iraquianos. «Uma imprensa livre e aberta é um dos alicerces da democracia e do desenvolvimento», considerou a ONU, sublinhando que «muitos mais jornalistas e trabalhadores dos media em todo o mundo sofrem de intimidação, ameaças de morte e violência, e nove em cada dez casos não são levados à justiça. Como resultado, os criminosos ganham ainda mais coragem, uma vez que as pessoas têm medo de falar sobre corrupção, repressão política e outras violações de direitos humanos. Isto tem de acabar».  

Os jornalistas do mundo inteiro estão pagando um preço alto ao defenderem um dos direitos humanos fundamentais – o direito à informação e à liberdade expressão. Ao calar a mídia, o direito do cidadão de ter acesso à informação é cerceado e os danos para a sociedade são incalculáveis.
É preciso mobilização para quebrar o ciclo de violência e impunidade. 
As vítimas são jornalistas que foram alvo por causa de suas investigações sobre a corrupção, o tráfico de drogas ou a crítica às autoridades. Mais de 90% dos crimes cometidos contra jornalistas nunca são resolvidos, e, portanto, nunca punidos. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *