Equipes da Divisão de Homicídios e da Delegacia de Repressão de Furtos e Roubos estavam monitorando há um mês o grupo criminoso que planejava roubar em torno de R$ 1 milhão no caixa eletrônico do Banpará localizado dentro do Hospital…

Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

As Diretorias de Combate à Corrupção e de Polícia do Interior da Polícia Civil do Pará prenderam hoje (28), no Distrito Federal, durante a Operação "Litania”, uma falsa empresária e sócios-proprietários que utilizavam empresa de fachada como instituição financeira para…

A Secretaria de Estado da Fazenda do Pará publicou extrato de dispensa de licitação para contratar a Prodepa, por R$800.427,88, a fim de desenvolver novo site da Transparência do Governo do Pará, com criação de nova arquitetura de informação, navegação…

Fim da impunidade contra jornalistas

Ontem foi o primeiro “Dia Internacional para o Fim da Impunidade de Crimes Contra Jornalistas”. A ONU divulgou mensagem defendendo o fim da impunidade contra os criminosos que tentam impedir a democracia e a liberdade de expressão e denunciando a morte de 800 jornalistas nos últimos dez anos «pelo simples fato de fazerem o seu trabalho», lembrando que só em 2013 foram executados 17 jornalistas iraquianos. «Uma imprensa livre e aberta é um dos alicerces da democracia e do desenvolvimento», considerou a ONU, sublinhando que «muitos mais jornalistas e trabalhadores dos media em todo o mundo sofrem de intimidação, ameaças de morte e violência, e nove em cada dez casos não são levados à justiça. Como resultado, os criminosos ganham ainda mais coragem, uma vez que as pessoas têm medo de falar sobre corrupção, repressão política e outras violações de direitos humanos. Isto tem de acabar».  

Os jornalistas do mundo inteiro estão pagando um preço alto ao defenderem um dos direitos humanos fundamentais – o direito à informação e à liberdade expressão. Ao calar a mídia, o direito do cidadão de ter acesso à informação é cerceado e os danos para a sociedade são incalculáveis.
É preciso mobilização para quebrar o ciclo de violência e impunidade. 
As vítimas são jornalistas que foram alvo por causa de suas investigações sobre a corrupção, o tráfico de drogas ou a crítica às autoridades. Mais de 90% dos crimes cometidos contra jornalistas nunca são resolvidos, e, portanto, nunca punidos. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *