0
Bruna Karla Barata Cancela, filha dos sócios do Sistema de Ensino Equipe (que inclui ensino médio, pré-vestibular e cursos específicos), foi aprovada no curso de Medicina da Universidade do Estado do Pará como cotista, por ser bolsista da escola onde concluiu o ensino médio – ela utilizou o benefício destinado a estudantes de famílias carentes, embora a escola seja propriedade de seus pais. Ouvida a respeito, a UEPA informa que, “de acordo com os editais dos Processos Seletivos 2015 (39/2014 e 72/2012), adotou dois critérios para as cotas sociais: o candidato deveria ter cursado integralmente o ensino médio em escolas da rede pública ou ser bolsista integral da rede privada – ambas localizadas no Estado do Pará. A opção pela condição de cotista foi feita pelo candidato no ato da solicitação de inscrição e deverá ser confirmada no ato da matrícula com a apresentação de documentos comprobatórios, no período de 26 a 30 deste mês. Os candidatos que atenderam a um dos critérios e estão com a documentação dentro da normalidade serão regularmente matriculados. A Uepa ressalta ainda que, de acordo com os editais, será eliminado do processo e perderá o direito a vaga o candidato que tendo sido classificado nas vagas destinadas aos alunos cotistas não comprovar esta condição, por meio dos documentos”.

Trata-se, como se vê, do típico caso do legal e imoral.

Vejam a lista aqui.


ATUALIZAÇÃO: A assessoria de comunicação da UEPA corrige sua nota informando que, “na verdade, o Edital 72/2012 trata do Prise 1. O que contém as regras para a 3ª fase (Subprograma XVI) e o quadro de vagas é o Termo Aditivo ao edital de mesmo número, publicado no dia 23 de julho de 2014 no site da Uepa.”
Segue o link: 
http://www.uepa.br/portal/downloads/Editais2014/TA7212.pdf

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Gabriella Florenzano canta Belém

Anterior

MP analisa caso da aluna cotista da UEPA

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *