0

Conforme informações do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO), a cada segundo 15 animais silvestres morrem atropelados nas rodovias brasileiras.

Esta irara foi atropelada na PA-404, em Benfica, próximo ao igarapé Melou Lavou. O registro foi feito pelo pedreiro morador local, Gerson. A irara (Eira barbara) é um mamífero carnívoro da família dos mustelídeos. Papa-mel, como também é chamado, vem do tupi-guarani (ira=mel, uara= o dono), por gostar de comer mel, o que procura em ninhos de abelhas silvestres. A espécie está incluída na lista da fauna ameaçada de extinção, na categoria “vulnerável” e entre as principais ameaças estão os atropelamentos.

Na rodovia PA-324, perto de Nova Timboteua, foram atropelados estes tamaduás. Na mesma rodovia, as cobras. Fotos de Pedro Souza e Zana Guedes. Já o gato maracajá foi atropelado na PA-150, município de Tailândia.

No Pará os órgãos ambientais não mantêm registro que permita estatística do número de atropelamentos de animais silvestres.  Ambientalistas que se preocupam com a extinção das espécies estimam que o Tamanduá mirim é a principal vítima dos veículos nas estradas paraenses. É importante que a sinalização de trânsito inclua placas com a observação da travessia dos animais característicos de cada região.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Debate e bolão do Oscar no Cine Líbero Luxardo

Anterior

A narrativa invertida

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *