0
No Pará a população carcerária gira em torno de 9 mil presos, para cerca de 6 mil vagas. Se os que estão presos além do tempo previsto na pena forem liberados, a superpopulação reduz um bocado, sem gastos para o Estado.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Pesos & medidas

Anterior

Educação é prioridade

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *