0

Não é só o número de caminhões que tira da estrada, é o número de acidentes, de investimentos na manutenção, é o estrago que eles fazem nas ruas das cidades, as mortes que eles causam. Quanto se economizaria com a retirada desses caminhões das estradas? Quantos mutilados? Quantos mortos”? (Deputado Luis Cunha, presidente da Frente Parlamentar Pró-Hidrovias e Portos do Pará, defendendo a adequação da logística de transportes à realidade regional e nacional).
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Distorção na matriz de transportes

Anterior

Artefato tecnológico

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *