A sesquicentenária samaumeira que perdeu seus galhos na madrugada desta segunda-feira (6) é memória afetiva de todos os paraenses e até de gente de fora do Pará e do Brasil que frequenta Belém durante o Círio de Nazaré. Localizada em…

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará oficializou o resultado da eleição suplementar em Viseu 39 minutos após o encerramento da votação. Foi eleito prefeito Cristiano Vale (nº 11 – PP – Voltando pra Cuidar da Gente) e vice-prefeito Mauro da…

Nem bem foi inaugurado, e ainda faltando a instalação dos bancos e finalização, o calçadão da Avenida Beira-Mar, em Salinópolis, sofreu diversas avarias. A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras acionou a empresa responsável pela obra, que está executando ações…

A expectativa era grande em relação à ida do governador Helder Barbalho à Assembleia Legislativa para a leitura da Mensagem na instalação da 61ª Legislatura. Funcionou como uma espécie de termômetro da Casa, que abriga novos deputados na oposição, e…

Empoderamento das mulheres

Há décadas a representação feminina nas Casas Legislativas do Brasil não ultrapassa 10%.  


A escola da samba Estação Primeira de Mangueira traz este ano para o desfile de Carnaval do Rio de Janeiro o tema “Empoderar mulheres, empoderar a humanidade, imagine!” e seu samba-enredo “Agora chegou a vez, vou cantar: mulher de Mangueira, mulher brasileira em primeiro lugar” integra movimento da ONU contra a violência de gênero para resgatar os compromissos assumidos pelas Nações Unidas há 20 anos, na 4ª Conferência Mundial sobre as Mulheres, em Pequim. 


Reconduzida para mais dois anos à frente da Procuradoria Especial da Mulher no Senado, a senadora Vanessa Grazziotin(PCdoB-AM) vai priorizar a reforma política. A bancada feminina na Casa é formada por 13 senadoras. A missão do órgão,  instalado em março de 2013, é “zelar, fiscalizar, controlar e incentivar os direitos da mulher, criando mecanismos de empoderamento, especialmente em situações de desigualdade de gênero”.
Os debates na procuradoria deram origem a sugestões que foram incorporadas a diversos projetos de lei, entre os mais importantes o que cria uma nova figura no Código Penal, o feminicídio. O PLS 292/2013 agrava a pena em casos de homicídio por razões de gênero. Segundo a senadora, “trata-se do justo reconhecimento de que o óbito é a expressão maior da violência contra as mulheres”. O projeto foi aprovado no Senado e deve ser apreciado este ano pela Câmara dos Deputados.
Entre outras questões que a procuradoria debateu nos últimos dois anos, estão o parto humanizado, a violência doméstica e o aumento da participação das mulheres na política. 



Como o Pará não tem representação feminina no Senado, fica fora desse importantíssimo forum de debates.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *