Embora o Quartel Tiradentes esteja localizado no coração do bairro do Reduto, sediando o 2º BPM e duas Companhias da Polícia Militar do Pará, os meliantes parecem desafiar abertamente os policiais. Os assaltos no bairro continuam muito frequentes, principalmente no…

Douglas da Costa Rodrigues Junior, estudante de Letras - Língua Portuguesa da Universidade Federal do Pará e bolsista do Museu Paraense Emílio Goeldi, ganhou a 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica na área de Ciências Humanas…

O Ministério Público do Trabalho PA-AP abrirá na segunda-feira inscrições para Estágio de Nível Superior. A seleção será destinada ao preenchimento de vagas e formação do quadro de reserva de estagiários dos cursos de Administração/Gestão Pública, Biblioteconomia, Direito, Jornalismo, Publicidade/Propaganda…

Hoje, dia 23 de julho de 2021 às 19h, o Instituto Histórico e Geográfico do Pará realizada a nona “Live em Memória” da programação alusiva aos 121 anos do Silogeu, desta vez em homenagem ao centenário de nascimento do Almirante…

Em Muaná, escolas e hospital em crise

Em Muaná, município de 38 mil habitantes no arquipélago do Marajó, os ribeirinhos denunciaram ao Ministério Público Federal que a contratação dos barcos para o serviço de transporte escolar é feita de maneira direta, a prefeitura fornece o combustível e mesmo assim o serviço é constantemente paralisado por alegada falta de combustível ou de pagamento aos barqueiros. Há várias obras públicas inacabadas e problemas de estrutura no hospital municipal e na rede de educação. O prefeito Sérgio Murilo dos Santos Guimarães recebeu recomendações para regularizar o fornecimento de alimentação escolar, obedecendo as diretrizes do sistema brasileiro de educação pública e solucionar os problemas no transporte escolar aos ribeirinhos. Quanto à merenda escolar, o MPF pede 24 medidas e dá prazo de 120 dias para que tudo seja sanado. 

Além disso, o MPF fez oito pedidos de esclarecimentos ao prefeito de Muaná. Todos os documentos darão origem a investigações sobre a gestão, assim como as vistorias feitas.
Uma situação recorrente nos municípios marajoaras são obras públicas inacabadas. Em Muaná, postos de saúde, uma caixa d’água e uma creche municipal estão abandonados, em diferentes estágios de construção. A maioria é fruto de convênio com o governo federal. 

O Hospital Municipal de Muaná conta com uma estrutura um pouco melhor do que as de municípios próximos, mas, mesmo assim, foram observadas carências e falhas importantes, que comprometem o atendimento à população. 

Faltam medicamentos essenciais aos atendimentos mais comuns e também insumos básicos como soro, seringas e fios para sutura. Mas há também problemas como a inexistência de lavanderia apropriada, o que compromete o funcionamento de vários setores.
O hospital tem uma máquina de lavar nova e uma calandra, usada para passar a rouparia, mas a rede elétrica antiga e precária impede o funcionamento das máquinas. A lavanderia funciona com um tanquinho simples que comporta só 10 kg de roupas e obriga os profissionais do setor a fazer o enxágue da roupa a mão. Em várias enfermarias os próprios pacientes precisam levar suas roupas de cama.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *