Governador do Pará e presidente do Consórcio de Governadores da Amazônia Legal, Helder Barbalho está com agenda intensa em Brasília, e em reunião com Lula nesta sexta-feira (27) apresentou documento proposto pelo CAL. Para o desenvolvimento regional do bioma amazônico,…

O Papa Francisco nomeou o atual bispo da prelazia de Marajó (PA), Dom Evaristo Pascoal Spengler, bispo de Roraima (RR), que estava sem titular há um ano, desde a transferência de Dom Mário Antônio da Silva para a arquidiocese de…

Utilizar o futebol como ferramenta de transformação social para crianças e adolescentes de todo o Pará é o objetivo do projeto "Futebol Formando Cidadão", que será lançado neste domingo (29) no oeste paraense. A iniciativa é do Tapajós Futebol Clube,…

No próximo sábado, 28, é o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. Esta semana, foram divulgados dados da Secretaria de Inspeção do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) referente a 2022, quando foram resgatados 2.575 trabalhadores em condições análogas…

Edmilson quer CPI

O deputado estadual Edmilson Rodrigues (PSol) propôs uma CPI a fim de apurar as denúncias de corrupção na Alepa, mas ainda não obteve as 13 assinaturas de apoio para que a Comissão seja criada.
Ressaltando que a maioria dos servidores da Assembleia é de pessoas honestas que trabalham de forma digna para sustentar suas famílias, Edmilson quer investigar a fundo as denúncias que apontam desvio que ultrapassaria R$6 milhões: “Uma andorinha só não faz verão. Por isso, é preciso que essas denúncias sejam muito bem investigadas porque há a possibilidade de que muito mais pessoas estejam envolvidas nesse desfalque, que é dinheiro público e precisamos dar uma satisfação à sociedade. A CPI é a forma mais correta e transparente de investigar essas denúncias e, assim, poder chegar a todos os envolvidos e ao tamanho real do rombo aos cofres públicos”.
Lembrou que, na década de 90, a Alepa também esteve na mídia envolvida em escândalo de diplomas falsos. Na ocasião, a CPI dos Diplomas Falsos não acabou em pizza. Todos os culpados foram identificados e afastados.
Ao final da sessão de hoje, o presidente da Alepa, deputado Manoel Pioneiro (PSDB) anunciou os nomes dos integrantes da comissão de Processo Administrativo Disciplinar: Geraldo Rocha Cavalero de Macedo, Roberta Fonseca Faciola e Elma Coutinho da Cruz, todos servidores efetivos da Casa. Edmilson disse que o PAD não terá êxito porque investigará apenas Mônica Alexandra da Costa Pinto, que já foi demitida da Alepa e não é obrigada a comparecer para depor quando for convocada. Já numa CPI, teria que comparecer sob pena de ser conduzida de forma coercitiva.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *