A 27ª Unidade de Conservação do Estado do Pará abrange os municípios de Jacareacanga e Novo Progresso, no sudoeste paraense. O Decreto nº 1.944/2021 foi assinado pelo governador Helder Barbalho na quinta-feira, 21, e publicado ontem (22) no Diário Oficial…

O Atlas da Dívida dos Estados Brasileiros, lançado no Fórum Internacional Tributário pela Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital, aponta que a dívida ativa das empresas com os entes federados soma estratosféricos R$ 896,2 bilhões, significando 13,18% do PIB…

Ao abrir oficialmente o Forma Alepa/Elepa, o presidente da Assembleia Legislativa do Pará, deputado Chicão, destacou a importância do trabalho que vem sendo executado pela Escola do Legislativo, treinando, qualificando e atualizando gestores, vereadores e servidores públicos, que dessa forma…

Em Itupiranga, força-tarefa do Ministério Público do Trabalho no Pará e Amapá, Auditoria Fiscal do Trabalho, Defensoria Pública da União e Polícia Federal resgatou sete trabalhadores em condições análogas às de escravos, em duas fazendas no sudeste paraense, e prendeu…

Ecos do XV Festival de Ópera do Theatro da Paz

Foi lindo e emocionante o concerto de encerramento do XV Festival de Ópera do Theatro da Paz, ao ar livre, em palco montado na Praça da República, em frente ao teatro, na noite de sábado, 1º. Cerca de mil pessoas assistiram ao espetáculo apresentado pelo próprio diretor do Theatro da Paz, Gilberto Chaves, a maioria delas sentadas. Feliz com o sucesso do evento, o secretário de Estado de Cultura precisou conter o entusiasmo para não revelar desde logo o projeto que acalenta para o ano que vem. Cauteloso, pediu paciência mas adiantou que será um belo acontecimento. 

O repertório do concerto rememorou as atrações do festival e homenageou os 120 anos de morte do compositor Carlos Gomes. Carlos Gardel, Astor Piazzolla, Giacomo Puccini, Johann Strauss, Ruggiero Leoncavallo povoaram a arejada noite de verão amazônico. No elenco de solistas, os paraenses João Augusto Ó de Almeida, Amanda Rocha, Lanna Bastos, Kézia Andrade, Dhuly Contente, Andrey Mira e Idaías Souto, além do tenor paulista Richard Bauer e a brasiliense Luciana Tavares, que mora em Belém.
O Coro Lírico do Festival de Ópera, conduzido pelo maestro Vanildo Monteiro, e a Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz, regida por seu maestro titular, Miguel Campos Neto, completaram a noite de gala, que teve direção geral de Gilberto Chaves e Mauro Wrona. 


O Coro Lírico do Festival abriu o concerto, com trecho do terceiro ato da ópera “Il Guarany”, de Carlos Gomes. E foram se sucedendo no palco as sopranos Lanna Bastos, com “Czardas (Die Fledermaus)”, de J. Strauss; e Luciana Tavares, que cantou “Los Pájaros Perdidos”, de Astor Piazzolla. 

O icônico tango “El Día que Me Quieras”, de Carlos Gardel, um dos mais famosos de todos os tempos, cantado lindamente pelo tenor paraense João Augusto Ó de Almeida, foi composto pelo argentino Carlos Gardel e Alfredo Le Pera, que poucos sabem é brasileiro, nascido no dia 7 de junho de 1900 no bairro do Bexiga, em São Paulo, filho de imigrantes italianos que migraram para Buenos Aires em 1902. Guto Ó de Almeida, que já foi gerente de Música do Theatro da Paz, tem um timbre de voz belíssimo e a força impactante desse tango fez da sua interpretação um momento mágico, aplaudido freneticamente pelo público. 

A soprano Kézia Andrade cantou a ária da personagem Liú, na ópera “Turandot”, de Giacomo Puccini, “Tu chedi gel sei cinta”; Richard Bauer interpretou “Vesti lagiubba”, de “I Pagliacci”, de R. Leoncavallo; Idaías Souto arrebatou a plateia com “Largo alfactotum”, da ópera “O Barbeiro de Sevilha”, de Rossini. Amanda Rocha cantou a ária “Der Hölle Rache”, a popular “Ária da Rainha da Noite”, da ópera “A Flauta Mágica”, de Mozart.
Um dueto de Kézia Andrade e Richard Bauer executou “Sento Una Forza Indômita”, de Carlos Gomes; e a soprano Dhuly Contente a ária “C´era una volta um principe”. Com o Coro Lírico, os cantores Andrey Mira, Richard Bauer e Luciana Tavares cantaram “O Dio degli Aimoré” e, de novo com o Coro Lírico, Andrey Mira, Idaías Souto, Dhuly Contente e Richard Bauer interpretaram “Concertato”, todos de “Il Guarany”.
“Nessun dorma”, do início do terceiro ato de “Turandot” e popularizada por Luciano Pavarotti, cantada pelo tenor Richard Bauer, coadjuvado pelo Coro Lírico do Festival, fechou a noite. 

Ano que vem tem mais. 

As fotos são de Mácio Ferreira.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *