0

O deputado federal Vic Pires Franco, presidente regional do Democratas (DEM), se encontrará às 10h desta sexta-feira com juiz da 1ª Vara da Infância e Juventude, José Maria Teixeira do Rosário (na foto). O magistrado tem pleno conhecimento, tintim por tintim, do relatório elaborado pelo Conselho Tutelar, no qual uma menor hoje com 13 anos de idade acusa o deputado estadual Luiz Afonso Sefer (DEM) de abusos sexuais que ela teria sofrido dos 9 aos 12 anos, quando morava na casa do parlamentar.Vic não conversará com o magistrado apenas na condição de presidente do Diretório Estadual do DEM. Recebeu delegação da Executiva Nacional do Democratas para se inteirar de toda a situação que envolve Sefer, avaliá-la e transmitir as informações à cúpula do partido, em Brasília.Com base na avaliação de Vic e nos elementos que apresentar é que a Executiva Nacional do DEM decidirá o que fazer em relação a Sefer como exercente de um mandato que, como se sabe, pertence ao partido, e não ao parlamentar.Depois de conversar com o magistrado, o deputado Vic Pires Franco vai se encontrar com os deputados estaduais Márcio Miranda e Haroldo Martins, ambos do DEM, e com o próprio Luiz Afonso Sefer.“Vou tomar uma decisão sobre o caso no máximo até o Natal”, prometeu Vic, em conversa com o blog na noite de ontem, quinta-feira. “O partido, através de suas Executivas Regional e Nacional, está atento para esse caso e vai adotar sem demora as providências que forem necessárias. Mas nada fará sem antes inteirar-se oficialmente de toda a situação que envolve o deputado Luiz Afonso Sefer”, complementou Vic.Sem adiantar qualquer juízo em relação à culpabilidade ou não de Sefer, o presidente regional do DEM adiantou que, em casos de deslizes éticos clamorosos, os procedimentos internos de que o DEM lança mão são céleres e rigorosos. No caso de um filiado com mandato, ele pode ser imediatamente suspenso de suas funções, o primeiro passo para que posteriormente venha a ser expulso do partido. “
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Chega de violência!

Anterior

Rompendo o silêncio

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *