0

Urge que o MPF e a Polícia Federal façam uma operação em Tucuruí, que vive descalabro administrativo e na saúde pública. O prefeito Sancler Ferreira colocou o hospital municipal dentro do Hospital Regional, a 13 Km de distância da cidade, para onde os pacientes vão de ônibus, táxi ou mototáxi e que, superlotado, está um caos. A rede básica do município não funciona, não tem remédios nem médicos, sequer o fumacê de combate à dengue, gestantes estão morrendo de parto e seus bebês também, por falta de acompanhamento nos postos de saúde, fato impensável em pleno século XXI. Com a Maternidade municipal dentro do Hospital Regional, os ginecologistas da Sespa e do município numa noite só ganham dois plantões. Mesmo assim os recursos do SUS continuam caindo na conta do município.
O prefeito está muito confiante que ficará impune, porque é do PPS, mesmo partido do secretário de Saúde e do vice-governador.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Público & privado

Anterior

Adeus ao grande Bené

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *