A juíza Sara Augusta Pereira de Oliveira Medeiros, titular da 3ª Vara Cível, Infância e Juventude, Órfãos, Interditos e Ausentes de Castanhal (PA) exarou uma sentença emblemática, em plena Semana da Pessoa com Deficiência: obrigou a Escola Professor Antônio Leite…

Observando que é irracional o deslocamento de grande quantidade de pacientes em busca de tratamento, o Ministério Público do Pará ajuizou Ação Civil Pública contra o Estado do Pará e o Município de Marabá, para a criação de Unidade de…

O governador Helder Barbalho sanciona hoje à noite, em cerimônia no auditório do Centur, o 'Vale Gás' e o 'Água Pará', destinados a famílias de baixa renda ou em situação de vulnerabilidade social. Ambos serão gerenciados e fiscalizados pela Secretaria…

Ciclistas liderados pelo grupo Pedal Mulher Nota 100, com apoio de alunos e voluntários da Universidade Federal do Pará e da Academia Paraense de Jornalismo, realizarão uma performance, nesta quinta-feira (23), das 8h às 10h, a fim de chamar a…

Derrubar ou premiar?

“Ela é 100% de maçaranduba. Essa madeira, se botar na água, daqui a mil anos ainda está normal. Você pode encher a ponte de ponta a ponta de caminhão, que ela não cai. A ponte deveria ser feita de alvenaria, mas estavam há 30 anos prometendo e não construindo. E agora foi feita, com recursos próprios. A ponte interliga seis municípios da Calha Norte: Oriximiná, Óbidos, Curuá, Alenquer, Monte Alegre e Prainha. Hoje gasta-se milhões para preservar um macaco, mas não se gasta um centavo para preservar o ser humano” (Cleóstenes Farias, prefeito de Alenquer, que construiu a ponte sobre o rio Curuá, como parte da PA-254, reivindica para a obra o título de “maior do mundo” em madeira, quer inscrevê-la no livro nacional de recordes e depois no Guinness Book. Detalhe: O Ministério Público diz que a ponte não tem estudo de impacto ambiental e quer derrubá-la). Leia matéria completa aqui.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *