0
Flávio Decat de Moura, atual diretor da Eletrobras, assume a presidência do grupo Rede Energia a partir de abril, em substituição a Carmem Campos Pereira Coura.

A Eletrobrás tem 34% da Celpa – controlada pela Rede Energia – e admite que elevar a participação para 49%. Espera-se que a Celpa seja capaz de atender o Pará da forma como precisamos, já que a empresa é tida como o celeiro da energia do Brasil.

Em 2003 a Aneel puniu o grupo Rede por transferir R$ 72,2 milhões da Celpa para a Usina Hidrelétrica Lajeado, que fica no Tocantins, fora da área de concessão da distribuidora. Depois, a participação em Lajeado foi trocada por 100% da Enersul, distribuidora do Mato Grosso do Sul.
Em 2007 o BNDES, através de seu braço de participações BNDESPar, exerceu a opção de converter debêntures em ações preferenciais do Rede Energia e hoje o banco tem 25,3% do grupo.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Direito ao sossego público

Anterior

Flona Saracá-Taquera

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *