0
Em Tucuruí, a eclusa I está com 94% das obras concluídas; o canal intermediário, com 84% e a eclusa II já atingiu os 74%. O canteiro de obras fervilha 24 horas por dia, sete dias por semana, para entregar tudo pronto até julho de 2010. A pressão política é enorme: Dilma quer vir inaugurar o Sistema de Transposição, única obra de grande porte do governo federal no Pará. A Eletronorte garante que o fluxo de caixa está mais do que em dia, já foram liberados os recursos necessários para fazer face aos custos até agosto deste ano e não haverá atraso no cronograma. Entretanto, a Camargo Corrêa alega que, com a crise, é preciso um novo aditivo para reequilíbrio financeiro do contrato. E o TCU não vai gostar dessa ideia. Tomara que não aconteça qualquer percalço e finalmente as eclusas aprontem no ano que vem.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Uma história muito estranha

Anterior

Falta de prestígio

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *