0
O PT impetrou mandado de segurança para garantir um membro na CPI da Saúde de Belém, instalada na Câmara Municipal. O partido designou como representante o vereador Marquinho do PT, mas o presidente da Câmara, Walter Arbage, e base aliada a Duciomar criaram “blocos” para compor a comissão. A ação impediu que o vereador Marquinho assumisse, alterando a proporcionalidade partidária na composição da Comissão, que legalmente instituía um representante do PT, já que o partido tem uma das maiores bancadas na Casa. Na ação, o PT argumenta que o ato é ilegal e pede a suspensão e anulação da nova composição da CPI.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Roseana pode perder governo

Anterior

A volta de Maria

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *