A empresa de ônibus Belém-Rio, que faz a linha para o distrito de Outeiro – Ilha de Caratateua, em Belém, aparentemente está falida e reduziu pela metade a sua frota, causando enorme sofrimento aos usuários do transporte coletivo. O serviço,…

A Cosanpa abriu nada menos que seiscentos buracos imensos nos bairros mais movimentados de Belém, infernizando a vida de todo mundo com engarrafamentos e causando graves riscos de acidentes, principalmente porque chove sempre, e quando as ruas alagam os buracos…

O Procurador-Geral de Justiça César Mattar Jr. inaugurou nesta quinta-feira, 16, o Núcleo Eleitoral do Ministério Público do Estado do Pará, que vai funcionar na sede das Promotorias de Justiça de Icoaraci, distrito de Belém. O coordenador será o promotor…

A desembargadora Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, que se destaca pelo belo trabalho que desenvolve à frente da Comissão de Ações Judiciais em Direitos Humanos e Repercussão Social do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, e que já coordenou…

Conflito e morte no Marajó

A Comissão Justiça e Paz da
CNBB Norte II e o Ministério Público Federal estão acompanhando e colaborando
nas investigações sobre o assassinato de Teodoro Lalor de Lima, líder
quilombola do arquipélago do Marajó que há muitos anos lutava pela titulação das
áreas remanescentes dos antigos quilombos na região de Cachoeira do Arari. Lalor
denunciou várias vezes ao MPF-PA ameaças e todo tipo de violência contra os
quilombolas, inclusive expulsões e até prisões ilegais. É o que se chama de morte anunciada. Mais
uma para o triste ranking parauara.

Teodoro Lalor tombou ontem de madrugada com o
coração transpassado por uma facada desferida pelas costas. O procurador da
República Felício Pontes Jr. foi ao seu enterro hoje e vai encaminhar à Polícia
Civil todos os documentos em seu poder, pedindo providências.

O MPF
pediu a retirada do fazendeiro Liberato de Castro da região, acusado de
contratar pistoleiros para expulsar os moradores e chegou a obter uma liminar
proibindo o fazendeiro de entrar nas terras quilombolas e de criar problemas
para a pesca e a coleta do açaí. O processo Nº 2008.39.00.011852-0

tramita na 5ª Vara Federal em Belém.


também um procedimento aberto na Corregedoria de Polícia Civil do Pará apurando
a participação de servidores públicos nas ameaças à comunidade.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *