0

Lula ficou de assinar, no dia 1º de agosto, o decreto de criação do Fundo Amazônia, que terá aporte de US$ 900 milhões no primeiro ano, de investidores internacionais e empresas privadas, abrigado no BNDES. No mesmo dia será criado o Fundo Clima, que deve destinar R$ 600 milhões para ações voltadas a mitigar a degradação ambiental e seus efeitos, além do pacto socioambiental dos bancos – públicos e privados -, garantindo que não vão financiar projetos ambientalmente insustentáveis.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Devastação

Anterior

Perigo na cabeça

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *