0

“Há muita gente que ainda convive com violência sexual contra crianças dentro do próprio lar. Muitas crianças, recrutadas por quadrilhas de exploração, sentem até uma sensação de liberdade, por não suportarem mais a violência sexual que recebem dentro da própria casa. A família é reduto fundamental e sagrado de defesa dos direitos da criança e pode ajudar nesse combate. Temos casos de mães que sabem dos problemas e que às vezes passam anos em silêncio. É preciso romper esse medo. As famílias devem estimular as crianças através da escola, da busca de atividades profissionais, esportivas ou artísticas para que, em hipótese alguma, sejam atraídas por uma profissão que fatalmente termina com doenças, envelhecimento precoce, gravidez prematura. Crianças que acabam tendo filhos com 16 anos, que são abandonados e o ciclo é realimentado, gerando mais violência, ódio e exclusão social”.(Paulo Vannuchi, ministro de Direitos Humanos, em entrevista ao programa Bom Dia Ministro, produzida pela Secretaria de Imprensa da Presidência da República e transmitida via satélite a rádios de todo o País.)
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Memória estudantil

Anterior

Vale vai à China

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *