Lançamentos literários, apresentações de teatro, oficinas voltadas para as culturas pop e japonesa, arrecadação de livros, atividades pedagógicas e lúdicas direcionadas ao público infantil, entre outras ações, estão no cardápio de cultura e arte servido aos visitantes do estande da…

O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Com a palavra, o Detran

Na sexta feira 24 de abril de 2010, as 15;55h tive meu carro batido na Rodovia Augusto Montenegro, por um ônibus da linha Tenoné Icoaraci /vianorte que tentou realizar um retorno para Icoaraci pelo lado direito da pista em frente à subestação da Celpa. Imediatamente liguei para o 190 solicitando a presença da perícia do Detran.

A colisão causou um grande congestionamento na rodovia e rapidamente chegaram vários carros da Ctbel e guarda municipal, marcaram o chão com tinta spray e solicitaram a retirada dos veículos do meio da rodovia para liberar o trânsito, uma vez que a Artur Bernardes está fechada e a rodovia é o unico acesso Belém/Icoaraci.

O carro do Detran só compareceu ao local às 23:00h e uma fração, após inúmeras ligações desesperadas para o 190. Alegaram que o Detran só tem um carro para cobrir toda Belém, que eu deveria ter paciência. Quando respondi que aquilo era um absurdo e um desrespeito com uma cidadã, que paga seus impostos e estava na beira da pista por 7h seguidas aguardando e correndo o risco de ser assaltada ele respondeu que se eu quisesse reclamar deveria fazê-lo com a governadora.

Após chegar ao local o perito informou que o papel dele ali era apenas tomar conhecimento dos fatos, fazer o exame topográfico, que os lados deveriam preencher um documento com o ocorrido e depois de 30 dias passar no Detran, pagar uma taxa, que eu ja me informei, é no valor de R$100,00 para receber o laudo que não vai acusar responsabilidades, servindo apenas pra abertura do processo no Ministério Público.

E aí eu desabei de frustração, indignação, impotência, nervosismo.. pois já havia tido meu carro batido, aturado os comentários machistas e ignorantes do motorista do ônibus que além de avançar a rodovia ainda teve a petulância de ficar me provocando com chacotas do tipo que mulher devia mesmo era continuar pilotando fogão e outras ignorâncias do gênero e do nível dele, esperei por 7h a chegada da perícia, correndo risco na beira da pista, chega o perito e diz que nada adiantou, pois eu ainda tenho que pagar para receber um documento que não vai dizer que o outro foi responsável.

Saí de lá desorientada, pois não entendi qual a finalidade da perícia. Tudo isso faz com que a gente se sinta insignificante, impotente. Se percebe que passam os anos e nada muda, entra governo, sai governo e a população continua sem seus direitos garantidos.

Sou professora de escola pública e amanhã tenho que voltar para sala de aula e ensinar aos meus alunos que eles são cidadãos com direitos na sociedade, que o governo está aí para garantir esses direitos quando nem eu nem eles conseguimos sentir e acreditar nisso.”

(Da leitora identificada como Suely, em desabafo ao blog).

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *