0

As carretas tipo “bi-trem” acabam com as rodovias. 6.500 dos 9 mil empregados do pólo guseiro de Marabá já foram demitidos. É preciso que o setor produtivo e os órgãos ambientais deem as mãos. A Assembleia Legislativa e os empresários devem fazer pressão conjunta para avançar, efetivamente, nos projetos de portos, eclusas e hidrovias do Pará.”
(Deputado João Salame (PPS), 1º vice-presidente da Alepa, ontem, na Fiepa)
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Jazz na Capela

Anterior

É preciso bom senso

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *