O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

CNJ estimula a magistratura

O Conselho Nacional de Justiça lança amanhã a campanha Valorização – Juiz Valorizado, Justiça
Completa
, com o apoio da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB),
Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra) e
Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe).
A intenção é promover maior reflexão sobre os motivos que contribuem
para a queda da imagem do Poder Judiciário e afetam diretamente a pessoa e o
trabalho dos juízes. Todos os anos chegam ao Judiciário cerca de 25 milhões de
novas ações judiciais e os magistrados são responsáveis pela publicação de
aproximadamente 22 milhões de sentenças, mas os juízes normalmente trabalham
com pouca estrutura para dar conta de tantos processos.
Ao
mesmo tempo em que o CNJ traz luz aos problemas existentes, também permite o
pensar coletivo sobre eles, de modo a possibilitar que ideias sejam postas à
mesa e que ao profissional sejam dadas condições adequadas para distribuir a
Justiça que a sociedade espera. Isso permitirá, ainda, uma reflexão crítica
sobre a atuação dos juízes na comunidade e o modo pelo qual o Judiciário se
comunica com a população e a mídia
”, diz o conselheiro
José Lucio Munhoz, presidente da Comissão de Eficiência Operacional e Gestão de
Pessoas do CNJ
.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *