A expectativa era grande em relação à ida do governador Helder Barbalho à Assembleia Legislativa para a leitura da Mensagem na instalação da 61ª Legislatura. Funcionou como uma espécie de termômetro da Casa, que abriga novos deputados na oposição, e…

Foram empossados hoje na Assembleia Legislativa do Pará os 41 deputados estaduais eleitos para a 61ª Legislatura (2023-2027). Em seguida houve eleição para a Presidência e a Mesa Diretora, em chapa única, tendo sido reeleito praticamente à unanimidade – por…

O governador Helder Barbalho está soltando a conta-gotas os nomes dos escolhidos para compor o primeiro escalão de seu segundo governo. Nesta quarta-feira será a posse dos deputados estaduais e federais e dos senadores, e a eleição para a Mesa…

Pela primeira vez na história, está em curso  um movimento conjunto da Academia Paraense de Letras, Academia Paraense de Jornalismo, Instituto Histórico e Geográfico do Pará e Academia Paraense de Letras Jurídicas, exposto em ofício ao governador Helder Barbalho, propondo…

Cenas de Belém do Pará

Em um prédio residencial localizado em bairro nobre de Belém, os porteiros e demais empregados se queixaram aos condôminos dos constantes atrasos nos pagamentos e direitos trabalhistas. Os moradores, indignados com a situação e com a falta de prestação de contas, pelo síndico, desde que assumiu, há quase dois anos, convocaram uma reunião. Nela, o síndico jogou a culpa na inadimplência dos condôminos, e apontou inclusive a vice-síndica, que estaria devendo a taxa condominial há seis meses. Ausente por convalescer de uma cirurgia plástica, ela soube no dia seguinte, por uma integrante do conselho fiscal, a quem mostrou os comprovantes dos pagamentos, falou que queria saber onde o síndico enfiara o dinheiro dela e ligou para a mulher do síndico, sua amiga unha-e-cutícula. Esta respondeu que estava no shopping fazendo um lanche e a convidou para tomar um café e conversarem pessoalmente. A vice-síndica, sem poder dirigir, chamou um táxi e, ao chegar ao shopping, deu de cara com seu marido, aos beijos com uma fulana. Foi a maior rebordosa. Mandou o infiel embora, falou que queria metade dos bens e por aí afora. A mulher do síndico, por sua vez, foi tomar satisfações com ele sobre a atitude com sua amiga, brigaram, ela foi embora e o síndico ficou chorando as mágoas junto aos porteiros, que só querem saber de seus salários. Vai daqui, vai dali, os dois casais já se reconciliaram. Mas o dinheiro do condomínio está que nem Conceição. Ninguém sabe, ninguém viu…

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *