Embora o Quartel Tiradentes esteja localizado no coração do bairro do Reduto, sediando o 2º BPM e duas Companhias da Polícia Militar do Pará, os meliantes parecem desafiar abertamente os policiais. Os assaltos no bairro continuam muito frequentes, principalmente no…

Douglas da Costa Rodrigues Junior, estudante de Letras - Língua Portuguesa da Universidade Federal do Pará e bolsista do Museu Paraense Emílio Goeldi, ganhou a 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica na área de Ciências Humanas…

O Ministério Público do Trabalho PA-AP abrirá na segunda-feira inscrições para Estágio de Nível Superior. A seleção será destinada ao preenchimento de vagas e formação do quadro de reserva de estagiários dos cursos de Administração/Gestão Pública, Biblioteconomia, Direito, Jornalismo, Publicidade/Propaganda…

Hoje, dia 23 de julho de 2021 às 19h, o Instituto Histórico e Geográfico do Pará realizada a nona “Live em Memória” da programação alusiva aos 121 anos do Silogeu, desta vez em homenagem ao centenário de nascimento do Almirante…

Celpa e Guascor condenadas

Celpa e Guascor do Brasil terão que criar uma subestação destinada a atender a cidade de Juruti, no oeste do Pará, no prazo de um ano, a contar da publicação da sentença, sob pena de pagamento de R$ 100 mil por dia de descumprimento.
É que as duas empresas não vêm cumprindo a obrigação legal de manter estável, regular e satisfatório o fornecimento de energia elétrica na região, serviço considerado essencial. Nos autos de processo judicial, praticaram o famoso
jogo de empurra. A Celpa, distribuidora, alega que a culpa é da geradora de energia elétrica Guascor que, por sua vez, diz que a responsabilidade é da Celpa. O juiz condenou ambas.

As empresas terão ainda que pagar, como indenização por dano moral coletivo, R$ 500 mil, valor a ser revertido para projetos de preservação ambiental e direcionado ao Fundo Estadual de Direitos Difusos ou outra instituição que vise a proteção dos consumidores.
A sentença também determina que a Celpa deverá expandir a rede de energia elétrica da cidade, acompanhando seu crescimento demográfico, e estender o fornecimento aos bairros ainda não atendidos no máximo em 90 dias. Deve ainda regularizar a rede de fiação clandestina, tanto na zona urbana quanto na rural. Caso descumpra a determinação judicial, a multa é de R$ 10 mil por dia.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *