0
As Câmaras Criminais Reunidas negaram pedido de habeas corpus liberatório para Ricardo da Silva Figueiredo, condenado a 16 anos e 10 meses de prisão, em regime fechado, por ter praticado, por quase dez anos, ato violento ao pudor contra uma criança de oito anos, descoberto somente quando a vítima já se encontrava com 17 anos. A garotinha era enteada do pedófilo e era constantemente ameaçada de morte, caso revelasse o crime.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Avanço no Baixo Amazonas

Anterior

Bicadas e tridentes

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *