0

Historiador, jornalista, antropólogo, folclorista e musicólogo, Vicente Salles, 76 anos, é o patrono da XI Feira Pan-Amazônica do Livro. Na terça, 2, às 20h30, será o lançamento da segunda edição do seu livro “Música e Músicos do Pará”, com sessão de autógrafos. Dicionário biográfico do saber e fazer música no Pará, a nova edição traz mais de 500 páginas, cerca de mil partituras, manuscritos, acervos, imagens e registros de músicos paraenses ou estrangeiros que viveram no Pará e contribuíram para a música local. Vicente Salles é modesto ao receber a homenagem da Feira do Livro. “Fui apanhado de surpresa como um caboclo do interior que, de repente, é colocado dentro do Theatro da Paz. Estou entre o pavor e o deslumbramento. Não sei se devo festejar muito ou se devo refletir sobre o que eu ainda posso fazer. Não existe música erudita nem popular.
Existe música, que entra por um ouvido e sai pelo outro. Às vezes um batuque é mais digno que uma música feita em laboratório – às vezes esta apenas vira mercadoria. Não existem compartimentos de música. Ela é um patrimônio construído pelo homem. É patrimônio da humanidade, não de uma classe social”, revela Vicente.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Especialização

Anterior

Você sabia?

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *