0

“Não adianta punir, multar, tem que licenciar, com condicionantes. Uma política punitiva – como a que vem sendo aplicada pelo governo estadual – empurra o setor produtivo para a ilegalidade e gera desemprego. Garantir o licenciamento dos empreendimentos com condicionantes ambientais e sociais é a melhor maneira de construir um novo modelo de desenvolvimento, que saia do simples discurso e produza efeitos na sociedade. Toda atividade econômica gera impacto ao meio ambiente, é preciso reduzir esses impactos e ao mesmo tempo avaliar os ganhos para a sociedade. Se não tiver mineração não tem carro, não tem navio, não tem avião. A Terra não vai acabar, o que está em jogo é a sobrevivência da nossa espécie na biosfera”. (Deputado Gabriel Guerreiro, líder do PV e ex-secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Meio-Ambiente). Veja mais em www.uruatapera.com.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Sem acordo

Anterior

Elegia para Telminha

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *